Associado Flajaraguá participa de encontro

Associado Flajaraguá participa de encontro
Emerson Luis Nicocelli, 274 camisas em sua coleção

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Filho da terra, Everton volta realizado a Mato Grosso: "Uma história bonita"

Após sair de casa aos 11 anos para tentar a sorte no Paraná, jogador fará contra o Goiás primeiro jogo oficial como profissional no estado onde nasceu: "Passa um filme". Desde a saída precoce da pequenina Nortelândia até a noite desta quarta-feira se passaram 14 anos. Quatorze anos para o sonho do menino Everton, que deixou a família ainda criança, se tornar realidade: jogar uma partida oficial no estado onde nasceu. E em grande estilo, com a camisa do Flamengo e num estádio de Copa do Mundo. Com seu fanatismo, a torcida cuiabana já deu mostras de que a partida contra o Goiás, às 22h (de Brasília), será especial depois de 16 anos de saudade do Rubro-Negro. Nenhum mato-grossense, porém, terá mais motivos para se emocionar do que o camisa 22 do time de Vanderlei Luxemburgo. Canhoto, veloz e habilidoso, Everton não precisou de muito tempo para chamar a atenção em sua cidade natal, que hoje conta com cerca de 6 mil habitantes. Em 1999, moradores de Nortelândia já falavam do prodígio que deixava todo mundo boquiaberto nos campinhos de futebol da cidade. Tanto que a fama chegou aos ouvidos de um olheiro do Paraná Clube, que passeava pelo local e foi determinante para mudar a vida daquele que tem sido o principal jogador do Flamengo na temporada. – Um senhor foi passar as férias na minha cidade, e eu já era muito falado. Disseram que tinha um jogador com as minhas características, ele foi me ver jogar e gostou. Meus pais na época foram meio loucos por me deixarem ir com 11 anos. Mas deu tudo certo. Fiquei oito anos no Paraná Clube, o que mudou minha vida. Sou muito grato por tudo que fizeram por mim. Morei um tempo com este olheiro. Era muito novo, fui sozinho. É uma história bonita – conta Everton orgulhoso. Com o que conquistou através do futebol, Everton tirou os pais do Mato Grosso – sua família atualmente tem residência fixa no Paraná. Nos primeiros anos, entretanto, o jovem aspirante a craque aproveitava toda brecha para correr para o colo dos pais. E não era fácil percorrer os 1.915km de distância.
– Vinha de ano em ano de ônibus, cerca de 24 horas de viagem. Só aos 17 anos, quando tudo começou a melhorar, que consegui levar meu pai e minha mãe. Quando pisar na Arena Pantanal para enfrentar o Goiás, Everton terá milhares de conterrâneos ao seu favor. Mesmo como visitante, o estádio estará pintado de vermelho e preto para decorar ainda mais as imagens que vão passar pela cabeça do meia-atacante antes de a bola rolar. – Passa um filme. É difícil imaginar que um jogador vai sair de onde eu saí, uma cidade (então) com 4 mil habitantes, para depois jogar num clube como o Flamengo. Voltar aqui e ver meus tios, meus avós, todo mundo feliz, me deixa muito grato. Em toda carreira, Everton disputou apenas uma partida no Mato Grosso: em 2013, um amistoso contra o Cuiabá, pelo Atlético-PR. Nesta quarta-feira, será a primeira vez como profissional, no jogo número 82 com a camisa do Flamengo – em duas passagens. Ao todo, são 41 vitórias, 22 empates e 18 derrotas, com dez gols marcados.(globoesporte.com)

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Mengão em Cuiabá: nova carga de 800 ingressos é colocada à venda

Mais de 30 mil ingressos já foram vendidos para o jogo desta quarta-feira diante do Goiás, na Arena Pantanal, em Cuiabá. A empresa organizadora do jogo entre Goiás e Flamengo anunciou na manhã desta terça-feira a venda de uma pequena carga de 800 ingressos para a partida de amanhã. Os ingressos estão sendo vendidos somente nas bilheterias do Ginásio Aecim Tocantins. Até às 10h da manhã o movimento já era grande no local. A Arena Pantanal deve bater seu recorde de público do período pós-Copa com um público superior a 32 mil pessoas. Desde sexta-feira, quando a venda foi suspensa, a procura por ingressos foi muito grande. Os valores dos ingressos vendidos para este jogo variam de R$ 35 a R$ 150. Goiás e Flamengo se enfrentam nesta quarta-feira pela 20ª rodada do Brasileirão, às 22h (de Brasília), na Arena Pantanal, em Cuiabá.(globoesporte.com)

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Seis pontos acima da meta de Luxa, Fla inicia novo bloco de quatro jogos

Nas contas do treinador, ideal é aproveitamento de 50% a cada sequência estabelecida no início de seu trabalho. Nova série inicia quarta-feira contra o Goiás. Quando assumiu o Flamengo às vésperas do confronto com o Botafogo, o técnico Vanderlei Luxemburgo afirmou que o time precisaria conquistar 50% dos pontos até o fim do Campeonato Brasileiro para se livrar do rebaixamento. Internamente, dividiu a competição em blocos de quatro jogos. Nos dois primeiros, o desempenho foi acima da expectativa e, por isso, a derrota para o Grêmio não teve um impacto maior na tabela de classificação. Em cada um dos dois primeiros blocos, o Flamengo conseguiu três vitórias e uma derrota, com nove pontos conquistados - no total, foram oito jogos, com seis vitórias e duas derrotas, com 18 pontos. O aproveitamento de 75% só está abaixo do conquistado pelo Cruzeiro, líder absoluto do Campeonato Brasileiro, em toda a competição. Nesta quarta-feira, contra o Goiás, em Cuiabá, o Flamengo vai iniciar o terceiro bloco de quatro jogos. Ainda terá pela frente o Corinthians, no Maracanã, o Palmeiras, no Pacaembu, e o clássico com o Fluminense. No primeiro turno, foram quatro pontos conquistados contra esses adversários, abaixo do que Luxemburgo planeja. - Começamos mal (contra o Grêmio) e depois tivemos altos e baixos. Poderíamos embalar. A equipe procurou fazer o gol, jogou para frente. O Grêmio jogou por uma bola e acabou fazendo. O resultado de empate já seria ruim, mas é uma situação em que estamos em uma posição no meio da tabela e vamos procurar ganhar mais uns três jogos no início do returno para subir mais - comentou o atacante Alecsandro. O discurso dos jogadores é exatamente o mesmo de Luxemburgo, o que demonstra uma sintonia. Contra o Grêmio, ele teve uma série de desfalques e poderá contar com algumas peças importantes no confronto com o Goiás, como Wallace e, principalmente, Everton. Além disso, espera pelo retorno de Cáceres, que está com a seleção paraguaia e atuou domingo contra os Emirados Árabes em amistoso disputado na Áustria. Outra situação a ser analisada é a questão física dos jogadores que atuaram nessa sequência de jogos contra Vitória, Coritiba e Grêmio. Sete estiveram em campo em todos eles: Paulo Victor, Léo Moura, João Paulo, Márcio Araújo, Canteros, Gabriel e Alecsandro. Três sequer foram substituídos: Paulo Victor, João Paulo e Canteros. - Lutamos bastante, mas infelizmente uma bola no fim matou o jogo. Tem que recuperar, pois quarta-feira já temos um jogo difícil contra o Goiás. Talvez, se não tivéssemos feito um bom jogo, eles (torcedores) não iriam aplaudir - comentou o volante Márcio Araújo.(globoesporte.com)