8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ

8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ
EQUIPE REUNIDA NA REALIZAÇAÕ DA FEIJOADA

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Foto de vibração de Zico contra Bota inspira estátua a ser erguida na Gávea

Organizadores da homenagem pelos 60 anos pedem sugestão ao Galinho e vão atendê-la. Partida, de 1989, terminou empatada por 3 a 3. O Flamengo fará festa no dia 2 de março, véspera do 60º aniversário de Zico, para inaugurar a estátua do ex-camisa 10 na sede da Gávea. O ídolo ainda não sabe como ficará o modelo final e não tirou medidas para a homenagem, mas sua opinião foi ouvida pelos organizadores: o Galinho enviou uma foto com a imagem que gostaria que fosse eternizada e o pedido deverá ser atendido. A foto escolhida por Zico foi tirada na comemoração do seu gol no empate de 3 a 3 entre Flamengo e Botafogo, dia 7 de maio de 1989, pela Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca (veja os melhores momentos no vídeo acima). O Galinho marcou de falta para abrir o placar no Maracanã com um chute forte, no ângulo esquerdo de Ricardo Cruz. Depois, corre com os braços abertos, seguido pelo lateral-esquerdo Leonardo. A imagem também ilustra o cartaz do filme "Zico", lançado em 2002 e que conta a vida do craque, interpretado pelo ator Claudio Fontana. - Pedimos ao Zico uma sugestão do que ele gostaria que fosse a estátua e nós a acatamos. Ela será como ele quer e, com certeza, como os torcedores gostariam que fosse - disse Marcelo Tijolo, sócio do clube e um dos organizadores do "Movimento Zico 60 anos, um mundo rubro-negro". O grupo e a diretoria do Flamengo têm mantido sigilo sobre os detalhes da estátua, mas a obra já foi encomendada e a inauguração está prevista para a véspera do aniversário de Zico, às 10h (de Brasília). O movimento foi lançado em 23 de janeiro no Tijuca Tênis Clube e contou com a presença de Sandra de Sá, Neguinho da Beija-Flor, Nunes, baterias do Salgueiro e Vila Isabel, Diogo Nogueira, Nalbert e até mesmo Bernardinho, que é torcedor do Botafogo mas também homenageou o Galinho. No último domingo, os jogadores entraram em campo antes do clássico com o Botafogo usando a camisa comemorativa pelos 60 anos do ídolo. Recentemente, Zico disse que que ficou "desconfortável" com a ideia de ganhar uma estátua agora na Gávea, pois temia que o gesto fosse interpretado como "troca de gentilezas" e ganhasse cunho político, já que apoiou a atual diretoria nas últimas eleições e teve problemas com a ex-presidente Patrícia Amorim. - Pedi para que não fizessem isso agora, mas também não tenho como impedir - disse o ex-camisa 10 no iníco do mês. A estátua na Gávea será a quarta erguida para o ex-jogador. As duas primeiras foram feitas pelo Kashima Antlers, do Japão, onde Zico atuou nos anos 90, quando foi o grande responsável pelo impulso do futebol japonês. Uma escultura é em frente ao estádio do clube. A outra fica no minimuseu Zico inaugurado na praça interna do shopping de Kashima. Em 2009, o Galinho ganhou também uma homenagem no Maracanã, estádio no qual o eterno camisa 10 rubro-negro é o maior artilheiro, com 333 gols marcados. Um ano antes, a torcida do Flamengo chegou a fazer uma estátua de isopor para Zico com a "taça das bolinhas", de 1987.(globoesporte.com)

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Gabriel volta a treinar com o grupo e pode, enfim, fazer sua estreia pelo Fla

Meia-atacante, contratado junto ao Bahia há um mês, deve ser relacionado por Dorival Júnior para a partida com o Olaria, sábado, em Volta Redonda. Em clima leve e descontraído depois da vitória sobre o Botafogo no último domingo, o time do Flamengo se reapresentou na tarde desta terça-feira, no Ninho do Urubu. Com a classificação para a semifinal da Taça Guanabara já assegurada, Dorival Júnior poderá utilizar o jogo de sábado, diante do Olaria, para dar ritmo a jogadores que tiveram uma pré-temporada maior. São os casos de Gabriel e Alex Silva, que ainda não atuaram esse ano, e Carlos Eduardo, que ainda busca melhor condicionamento físico. Depois de uma animada roda de bobinho, Dorival dividiu o grupo em quatro times e trabalhou em campos reduzidos. Gabriel, que foi contratado há pouco mais de um mês e desde então tem feito trabalho de fortalecimento muscular, treinou normalmente com o grupo principal pela segunda vez - no último sábado, ele já havia participado de um rachão. Ele deve ficar à disposição para a partida com o Olaria. Por conta de uma cirurgia no nariz, o jogador ficou fora dos primeiros treinos da pré-temporada do Bahia. O goleiro Felipe, ao comentar sobre o time, confirmou que Gabriel está à disposição do treinador. - Agora tem o Gabriel, que já está liberado. O Dorival está quebrando a cabeça até mesmo para montar o banco. Quem ganha com isso é o Flamengo - comemorou. O problema de estrutura muscular de Gabriel aconteceu pelo curto trabalho na base, já que ele ficou apenas seis meses no juniores e logo começou no profissional. O jogador se apresentou ao Flamengo com “um déficit muito grande de musculação”, segundo definiu o preparador físico Celso de Rezende. Cleber Santana, Nixon e Thomás ficam fora da atividade A atividade não contou com três jogadores: Cleber Santana, liberado para cuidar de problemas particulares em São Paulo; Nixon, já recuperado de um problema na coxa esquerda, mas que faz um trabalho à parte de preparação física; e Thomás, também recuperado de uma torção no tornozelo direito, mas ele só correu no campo do CT. O Flamengo ocupa a primeira colocação do Grupo B da Taça Guanabara, com 19 pontos, e já está classificado para a semifinal. O Rubro-Negro volta a campo neste sábado, às 18h30m (de Brasília), contra o Olaria, em Volta Redonda, pela última rodada da primeira fase.(globoesporte.com)

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Canela de Hernane decide, Flamengo vence Botafogo e garante vantagem

Clube rubro-negro bate rival por 1 a 0, se consolida como melhor campanha geral e joga por empate no mata-mata da Taça Guanabara. Nas arquibancadas do Engenhão, a torcida do Flamengo emplacou sua versão para a música “Viva la Vida”, do grupo britânico Coldplay. Mas, dentro de campo, foi na simplicidade de uma canelada que Hernane decidiu o clássico contra o Botafogo. O Brocador, como se autodenominou, marcou o gol único da partida logo no início e garantiu a vitória por 1 a 0 na noite deste domingo. O resultado dá uma série de benefícios ao vencedor. Depois de conquistar 19 dos 21 pontos que disputou, o Rubro-Negro garantiu a primeira posição do Grupo B uma rodada antes do fim da fase classificatória da Taça Guanabara – o Fluminense tem 14 pontos – e também se garantiu como time de melhor campanha geral. O status garante a vantagem de empate na semifinal e, se avançar, na decisão do primeiro turno. A vitória reforça a importância de Hernane no início de temporada. Ele marcou oito dos 14 gols do time no ano e lidera com folga a artilharia do Carioca – os vice-líderes têm quatro. O atacante ofuscou a estreia de Carlos Eduardo, que jogou por 45 minutos e foi discreto. A equipe manteve a base, isso foi importante. E os jogadores que chegaram contribuíram para esse momento chegar. É fruto também do trabalho de dia a dia, e quem entra procura manter. E agora é dar continuidade que estamos no caminho certo - disse Léo Moura. Apesar da derrota, o Botafogo não fez uma partida ruim. O time teve chances de empatar, acertou a trave, mas demonstrou deficiência nas finalizações. O principal jogador foi Seedorf. Por outro lado, a tática de Oswaldo de Oliveira de improvisar Julio Cesar na cabeça-de-área no primeiro tempo não funcionou, e a defesa deu espaços à dupla adversária Elias e Ibson. Foi um jogo equilibrado, momento de sorte do Flamengo decidiu. Temos que ficar de cabeça erguida e seguir trabalhando - analisou Seedorf. O Alvinegro segue na liderança do Grupo A, com 14 pontos. O Vasco é o segundo, com 13. CANELA BROCADORA Estreante do domingo e principal contratação do Flamengo em 2013, Carlos Eduardo teve o primeiro contato com os torcedores rubro-negros com um Engenhão com público razoável (pouco mais de 23 mil presentes). Ele e Rafinha foram os mais festejados na entrada em campo. O meia-atacante não jogava desde o dia 6 de dezembro, quando defendeu o Rubin Kazan, na Liga Europa. A torcida do Botafogo não tinha um novo jogador para conhecer. Mas, para quem tem Seedorf, celebrar a cada partida o mesmo ídolo não é difícil. E assim foi feito. A noite abafada no Rio de Janeiro não significou início de jogo em ritmo lento. Aos três minutos, o Flamengo abriu o placar. Após cobrança de escanteio de João Paulo da esquerda, González ganhou na cabeça de Bolívar sem sair do chão, a bola desviou nas costas de Fellype Gabriel e sobrou para Hernane, na pequena área, empurrar de canela para o gol. Os botafoguenses levantaram os braços pedindo impedimento, mas Julio Cesar deu condição e não acompanhou a movimentação do adversário. O Botafogo encontrou um caminho aberto pela esquerda e fez duas jogadas semelhantes. Na primeira, Fellype Gabriel aproveitou corte mal feito da zaga e chutou no pé da trave. Logo depois, Seedorf driblou Wallace com facilidade e rolou para Vitinho bater por cima. A partida continuou intensa. Ibson fez lindo passe para Rafinha. Ele entrou livre na área, mas Jefferson saiu bem, fechou o ângulo e defendeu com as pernas. As chances se sucediam de lado a lado em ritmo frenético. Aos 12, foi a vez do Botafogo. Lodeiro roubou a bola de Ibson, Bolívar ajeitou, e Bruno Mendes chutou forte, mas em cima de Felipe. O goleiro espalmou e evitou o empate. O Flamengo alternava marcação frouxa no meio-de-campo - Cáceres foi a exceção - com agilidade nos ataques. A movimentação de Ibson e Elias deu resultado novamente aos 15. Elias ajeitou, e Hernane, de primeira, finalizou rente à trave direita de Jefferson. A força do Botafogo estava com os estrangeiros. Seedorf e Lodeiro revezaram-se na função de articulador de jogadas. O uruguaio também levou perigo em uma cobrança de falta. A jogada mais provável era o cruzamento, mas ele bateu no canto direito, e Felipe se esticou para defender. A partida, enfim, diminuiu de velocidade a partir dos 25 minutos. Para sorte de Carlos Eduardo, que sentiu o ritmo pesado e teve dificuldades de movimentação. Ele saiu no intervalo para a entrada de Rodolfo. O Botafogo foi levemente superior até o fim da primeira etapa, mas sem perigo nas finalizações. Oswaldo de Oliveira percebeu a falta de pontaria e trocou Bruno Mendes por Sassá. RODOLFO QUASE INACREDITÁVEL O equilíbrio do primeiro tempo permaneceu na fase final. O Flamengo insistiu com a velocidade de Rafinha, desta vez auxiliado por Rodolfo. Do outro lado, o Botafogo ameaçou pelo alto. Seedorf cobrou escanteio, Antonio Carlos subiu sozinho e testou para fora. Aos 17, enfim, o Flamengo encaixou um contragolpe. Rafinha driblou no meio-de-campo e enfiou para Rodolfo nas costas da zaga. O meia entrou livre, cortou Jefferson e com o gol vazio, mas um pouco desequilibrado, chutou por cima do travessão. Outra tabela entre Rafinha e Rodolfo quase terminou em gol de Hernane. O camisa 11 cruzou rasteiro, e o Brocador só não marcou o segundo dele no jogo porque Bolívar, de carrinho, colocou a escanteio. No lance, o artilheiro sentiu uma fisgada na coxa esquerda e foi substituído por Igor Sartori, filho de Alcindo, ex-jogador do Flamengo no fim da década de 80. Do lado de fora, começou o tratamento com gelo no local, mas, a princípio, não preocupa para as próximas partidas. O Botafogo começou a pressionar a partir dos 30. Sassá bateu de fora e Felipe defendeu em dois tempos. Logo depois foi a vez de Lucas driblar na ponta direita e chutar de bico para defesa do goleiro adversário. Mas, recuado, o líder resistiu e garantiu a vitória.(GLOBOESPORTE.COM)