FLAJARAGUÁ

FLAJARAGUÁ
OS 3 SORTUDOS!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Memórias de um capitão: em prantos, Léo Moura passa a limpo vida no Fla

Prestes a completar 500 jogos pelo Rubro-Negro, lateral-direito relembra trajetória de oito títulos, esclarece polêmicas, adia aposentadoria e deixa futuro na mão do clube. Um brinde ao amor. A celebração de um relacionamento que começou até certo ponto despretensioso em um 12 de junho, dia dos namorados, e terá na tarde de sábado, no Maracanã, o capítulo de número 500. Léo Moura é sinônimo de Flamengo há quase dez anos. Torcedor na infância, o menino da Vila Kenedy precisou rodar bastante até, enfim, vestir a camisa do clube do coração. Passou por Holanda, Bélgica, Portugal, todos os outros rivais do Rio, dez clubes no total, até desembarcar na Gávea em meados de 2005. Nove anos e quatro meses depois, completa diante do Santos, cinco centenas de exibições com a camisa rubro-negra.
A partida, válida pela 26ª rodada do Brasileirão, será praticamente um evento em celebração ao capitão do Flamengo. No meio da tabela, rubro-negros e santistas aspiram pouco na competição, mas os 19 mil ingressos vendidos até a noite de quinta-feira deixavam clara a importância do programa na véspera das eleições. Na Gávea, o presidente é Léo Moura, que será recebido no Maracanã como "chefe do estado flamenguista". Uma série de homenagens está programada para o lateral-direito antes e depois do jogo.
Nesta sexta-feira, véspera da marca histórica, Léo Moura conversou com o GloboEsporte.com sobre sua história no Flamengo. Com os oitos troféus conquistados ao longo de quase uma década (um Brasileirão, duas Copas do Brasil e cinco Cariocas) expostos no gramado da Gávea, o lateral-direito passou a limpo sua trajetória no clube: celebrou títulos, programou um futuro além de dezembro de 2015 - o que era seu desejo de aposentadoria inicialmente -, admitiu seguir a vida em outro clube caso não tenha o contrato renovado e esclareceu polêmicas, como os relacionamentos com Álvaro e Cuca em 2009. Com a emoção à flor da pele, o capitão do Flamengo recebeu ainda o carinho de pessoas determinantes nesta trajetória de sucesso e não conteve as lágrimas, caiu em prantos. Clique nos vídeos e confira todo bate-papo com Léo Moura, que pisa às 16h20m (de Brasília), no gramado do Maracanã para escrever mais uma página marcante de uma história de 235 vitórias, 135 empates, 129 derrotas e 47 gols com a camisa rubro-negra.(globoesporte.com)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Eufórica com o título, torcida do FLAMENGO invade a quadra da Arena após vitória!

Logo depois da confirmação do placar de 90 a 77 e o fim do jogo os fãs desceram, burlaram a segurança e adentraram o local da disputa para festejar com os jogadores. Após levar o Carioca, o NBB, a Liga das Américas e a Liga Sul-Americana, o Flamengo conquistou neste domingo o título mais importante de times do mundo, a Copa Intercontinental de Clubes, ao derrotar o Maccabi Tel Aviv com sobras por 90 a 77 (46 a 36). E a velha máxima de que, às vezes, a torcida do Rubro-Negro parece estar dentro de campo com os atletas, nesse caso, de quadra, pode ser usada de forma literal desta vez. Afinal, logo depois do fim do confronto, os fãs eufóricos burlaram a segurança e invadiram o local do duelo. Agentes da Polícia Militar chegaram a entrar na quadra também, tentando conter a multidão. A voz no sistema de som da Arena da Barra disse que, enquanto eles não saíssem, não seria realizada a entrega do troféu e das medalhas. Além disso, pediu que os jogadores rubro-negros fossem para o vestiário imediatamente. Eles estavam eufóricos também. O argentino Walter Herrmann, por exemplo, subiu na cesta e fez o tradicional gesto de cortar a rede que fica em volta do aro. Os atletas do Maccabi, por sua vez, deixaram a quadra logo depois do fim do jogo. O time carioca precisava de uma diferença de no mínimo quatro pontos após a derrota por 69 a 66 na primeira partida, na última sexta-feira. E, em uma atuação coletiva perfeita e com grandes momentos individuais do argentino Nico Laprovittola e do americano Jerome Meyinsse, a equipe do técnico José Neto triunfou. Com 24 pontos e seis rebotes, Laprovittola, que terminou a partida eliminado com cinco faltas, foi o grande nome da conquista rubro-negra. Meyinsse, que anotou 22 pontos e cinco rebotes, e Marquinhos, com nove pontos, quatro rebotes e duas assistências, também se destacaram.(globoesporte.com)