A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS

A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS
encontro das embaixadas na gávea!

sábado, 5 de outubro de 2013

Clássico especial: diante do Vasco, Léo Moura completa 450 jogos no FLAMENGO!!!

Capitão rubro-negro se diz emocionado com marca e já projeta chegar aos 500. Faltam 19 partidas para superar Zinho e entrar no grupo dos dez mais. Um clássico ainda mais especial para Léo Moura. Acostumado a celebrar marcas individuais e títulos nos mais de oito anos em que defende o Flamengo, o lateral-direito completará 450 jogos com a camisa rubro-negra diante do Vasco, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Mané Garrincha, pela 26ª rodada do Brasileirão. Número por si só expressivo, e que dá início a uma dupla contagem regressiva: para a partida de número 500 e, antes disso, a 469, que, se alcançada, o fará superar Zinho e entrar no hall dos 10 atletas que mais defenderam o clube. O próximo passo do atual capitão do Flamengo, no entanto, só poderá ser dado em 2014. Mesmo que esteja em campo nos 13 jogos restantes no Brasileirão e nas cinco possíveis na Copa do Brasil – caso a equipe chegue na decisão - ainda faltará um "ponto" para deixar Zinho para trás. Este cenário, por sua vez, possibilitaria que Léo Moura abrisse a próxima temporada entrando definitivamente na lista dos dez mais. Para isso, porém, precisa renovar o contrato, que se encerra no dia 31 de dezembro. Contratado em 2005, Léo Moura estreou pelo Rubro-Negro no dia 12 de junho daquele ano, na derrota diante do Corinthians, por 4 a 2, em Mogi Mirim (SP), pelo Brasileirão. De lá para cá, foram 449 exibições, com 213 vitórias, 112 empates e 114 derrotas. O capitão do Flamengo marcou ainda 44 gols, sendo seis de pênalti, quatro de falta e três de cabeça. Ao chegar na Gávea sem conquistas na carreira, apesar de passagens por todos os outros grandes do Rio, além de Palmeiras e São Paulo, Léo levantou os títulos de campeão brasileiro, da Copa do Brasil e de quatro estaduais. - É um momento muito especial. Confesso que estou muito feliz e emocionado por alcançar esta marca vestindo a camisa do Flamengo. Como Deus faz tudo perfeito, acontecerá logo em um clássico – disse Léo Moura. E será em um clássico que o camisa 2 conhece bem. Dos 449 jogos que tem pelo Fla, 28 foram contra o Cruz-Maltino, com 14 vitórias, seis empates e oito derrotas. Pelo Brasileirão de 2007, foi de Léo Moura o gol rubro-negro no empate por 1 a 1. Assim que ultrapassar a barreira dos 450, o próprio capitão confessa que a expectativa se transformará em contagem regressiva para o jogo 500. É claro! Seria um sonho muito especial para realizar. O ranking dos jogadores que mais atuaram pelo Flamengo é liderado por Júnior, com 876 partidas. Em seguida, vêm os contemporâneos do Maestro Zico (732) e Adílio (617). Na sequência, até a décima posição, estão: Jordan (609), Andrade (570), Cantareli (557), Carlinhos (516), Liminha (513), Jadir (499) e Zinho (468).(globoesporte.com)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Esporte Espetacular conta histórias dos seis títulos brasileiros do FLAMENGO

ASSOCIADO E AMIGOS DA FLAJARAGUÁ(vamos bater o record de audiência na tv aberta), NÃO PERCAM!!! Zico, Nunes, Bebeto, Andrade, Júnior e Angelim relembram conquistas no programa deste domingo Qual flamenguista não se lembra ou já viu em VT o gol histórico de Nunes contra o Atlético-MG na final do Brasileiro de 1980? Ou do gol do mesmo Nunes na decisão 82 sobre o Grêmio, no Estádio Olímpico? E dos 3 a 0 sobre o Santos na decisão de 83, ou do gol épico de Bebeto sobre o Internacional de Taffarel, em 1987? Será que você já se esqueceu da maestria do veterano Júnior, em 1992? Para os mais novos, a cabeçada de Angelim, em 2009, ainda está fresquinha na memória. O Flamengo foi campeão da Copa União em 1987, mas a CBF reconhece o Sport como campeão brasileiro daquele ano. Por isso, o título do clube pernambucano também será abordado na série "Campeões do Brasil" neste domingo. Os flamenguistas poderão voltar no tempo e vibrar como os seis títulos conquistados. O Esporte Espetacular entrevistou ídolos que gravaram o nome na história do clube nessas conquistas, como Zico, Nunes, Bebeto, Andrade, Júnior e Ronaldo Angelim. Recorde, se emocione e vibre novamente com o hexa do Rubro-Negro, no Esporte Espetacular. Não perca! ATENCIOSAMENTE A DIRETORIA

Na base da simplicidade, Jayme quebra tabus e até sina de Mano

Após ex-treinador dizer que elenco não assimilava suas ordens, ex-interino tem bom início, vence duas seguidas e até bate Coxa, fora, após 15 anos. Traçar o estilo de Jayme de Almeida não parece ser algo muito difícil. A postura em entrevistas coletivas deixa evidente: o novo treinador do Flamengo faz da simplicidade sua principal característica. De fala mansa e sinceridade a cada resposta, é do tipo que evita potencializar os próprios méritos pelo bom momento da equipe e que não vê problema em dizer "não sei" como resposta. Foi assim, por sinal, que começou a tentar explicar o motivo de o Rubro-Negro estar tão diferente sob seu comando. A mudança, mais do que nítida em campo, está comprovada em resultados. E é para melhor. O Flamengo que não ganhava dois jogos seguidos no Brasileirão, ganhou. O Flamengo que não vencia há 15 anos o Coritiba fora de casa, venceu. E o Flamengo que Mano Menezes deixou dizendo que não conseguia assimilar suas orientações, assimila tudo que Jayme pede. E ele garante: não pede muito. Não sei (por que mudou). Sinceramente, acho que fiz uma proposta e acredito no futebol. É uma coisa bem simples e é minha ideia. Consegui colocar jogadores que conseguem desenvolver bem. Gosto de times que joguem bom futebol e se proponham a fazer o que peço. Na simplicidade, estamos conseguindo fazer isso. Da escola que deu ao Flamengo sua geração mais vencedora, Jayme é daqueles que gostam do futebol simples e eficiente de antigamente. Nunca escondeu que seu elenco tem limitações, mas procura extrair o que nele enxerga de melhor. As mudanças desde que assumiu a equipe foram poucas: Amaral, que sequer jogou com Mano, virou um volante intocável, e André Santos voltou para o meio-campo, com João Paulo na lateral. Assim, o Flamengo se protegeu defensivamente e passou a segurar mais a bola no meio-campo. No Brasileirão, disputou nove pontos, ganhou sete, e só não teve maior posse de bola contra o Coritiba - até por ter feito 2 a 0 logo no começo do segundo tempo. Contra o Náutico, teve 54%, diante do Criciúma, 55% e com o Coxa, 47%. O mérito da evolução evidente Jayme compartilha com o grupo. Revelando ser simples também no contato com os jogadores, o treinador diz que joga limpo e tenta colocar cada um na posição em que fica mais à vontade. Desta maneira, ele acredita que o Flamengo tem evoluído gradativamente. Não tenho uma fórmula para isso, não. Tenho o meu modo de lidar com eles e jogo sempre muito aberto. Falo o que gosto e como vejo o futebol. Tenho procurado fazer isso: colocar jogadores de qualidade e na função que gostam de jogar. O Flamengo está jogando um futebol de qualidade. As coisas começaram a andar. Contra o Náutico, falaram muito mal por conta do empate, mas eles agora ganham de todo mundo. Depois veio o Botafogo e seguimos crescendo. Isso nos dá um alívio e confiança para os próximos jogos. Então, aliviado e confiante, o Flamengo do simples Jayme retorna ao Rio de Janeiro na manhã de quinta-feira e encara o Vasco, domingo, em Brasília, pela 26ª rodada do Brasileirão. Com 33 pontos, a equipe ocupa a 11ª colocação.(globoesporte.com)

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Conselho Deliberativo aprova acordo do Fla para jogar no Maraca até 2016

Segundo o novo contrato, quanto maior a receita, maior a parcela do clube. Cláusula de estudo de viabilidade para novo estádio na Gávea é incluída. O Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou na noite desta terça-feira a assinatura do contrato entre o clube e a concessionária do Maracanã para jogar no estádio até 2016. Segundo o novo acordo, o Flamengo, que antes recebia metade da receita de todos os jogos e reclamava do alto custo do estádio, agora tem direito a fatias maiores conforme o volume da renda da partida. Quanto maior a receita, maior a parcela que cabe ao clube, evitando assim que o custo de atuar no Maracanã em jogos de grande receita seja alto demais. Os percentuais da renda variam entre 50% (até R$ 500 mil) e 72% (para o caso de bilheteria acima de R$ 2 milhões). Também foi incluída, após proposta do Conselho de Grandes Beneméritos, uma cláusula em que a Odebrecht deverá fazer um estudo de viabilidade para um estádio na Gávea até o fim de 2014 e executar o projeto, se o mesmo for viável. Ou seja, se o clube conseguir as licenças necessárias. O Deliberativo aprovou ainda os projetos para captação de recursos através de leis de incentivo para os esportes olímpicos e o centro de treinamento em Vargem Grande. O acordo prevê que o Flamengo tem liberdade para disputar 10 jogos por ano fora do Rio, desde que não sejam decisivos ou sejam do Campeonato Carioca. Além disso, a despesa operacional para cada uma das partes, proporcional ao percentual da renda, será de R$ 10 por pagante, conforme anunciado no borderô, até um limite de R$ 300 mil. Acima desse valor, a concessionária passa a arcar com todos os custos. Nesta terça-feira, surgiram informações de que a concessionária do Maracanã chegou a tentar uma renegociação de alguns termos, incluindo a planilha da partilha da renda. Queria fatias maiores. O clube bateu o pé, a concessionária não gostou, mas o documento foi ao Deliberativo da forma como foi colocado para apreciação dos conselheiros. A assessoria do Flamengo desmentiu a informação. Entre os dados divulgados no Deliberativo, foi dito que o Flamengo ficará com 50% dos camarotes do Maracanã. A venda deverá poder ser feita jogo a jogo ou anualmente. Ainda foram colocadas pequenas alterações impostas pela comissão jurídica do Deliberativo e pelo Conselho Fiscal. Entre as mudanças, a rescisão contratual a qualquer momento sem multa e um item especificando que o Flamengo tem o direito de acompanhar os custos da operação do estádio. Está especificada também a necessidade de aprovação dos conselhos para pedidos de adiantamento de receita. Circula na Gávea a informação de que o clube deverá pedir em breve R$ 30 milhões (mais R$ 10 milhões de empréstimo de um banco) para cobrir o buraco no orçamento até o fim do ano, mas não há confirmação oficial. BANDEIRA DE MELLO frisa que acordo não é definitivo Questionado sobre a cláusula a respeito do investimento em uma arena da Gávea, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, explicou que o acordo foi somente para continuar analisando o tema: - Era um anseio de muitos dos sócios do Flamengo, de conselheiros, de ter uma arena, um investimento aqui na Gávea. Isso já desde o início das negociações está planejado ser incluído. Mas como não estamos ainda na fase definitiva de acerto com a concessionária, isso é uma fase dois, uma fase intermediária, então nesse momento ainda não foi colocado. Introduzimos uma cláusula de melhores esforços, vamos dizer assim, em que as partes combinam que vão continuar estudando o assunto. O presidente não se furtou a comentar a possibilidade de buscar adiantamento de receitas de jogos: - Podemos usar, se for do interesse do clube. Agora, qualquer adiantamento ou empréstimo vai ter de ser aprovado dentro do conselho competente, como qualquer outro adiantamento. Tem de ser submetido. Ao responder sobre a satisfação com os novos números, Bandeira de Mello mostrou uma postura moderada: - Melhoraram em relação ao acordo anterior, mas como falei é um contrato intermediário, não definitivo. Quem sabe pode vir a melhorar ainda mais, mas por enquanto temos de respeitar o que estamos assinando agora. Existe a possibilidade de rescisão sem multa a qualquer momento para qualquer um dos lados. Ex-presidente Marcio Braga reclama de falta de tempo para apreciação. Pouco antes do horário marcado para o início das atividades no Deliberativo, o ex-presidente Marcio Braga afirmou ser contra a assinatura nos termos iniciais do contrato. A bronca era com a ausência de uma cláusula que contemplasse a construção de um estádio na Gávea, projeto antigo no clube que nunca saiu do papel. Ontem (segunda-feira), o Conselho de Grandes Beneméritos do Flamengo se reuniu e eu fiz uma exposição do que eu acho dessa operação, dessa proposta de contrato de três anos. O conselho concordou comigo por unanimidade que o Flamengo não pode assinar nada que não garanta a ele a construção do seu estádio na Gávea. Eles inicialmente fizeram um contrato para alguns jogos, depois para 30 dias, depois três meses, agora três anos, eles estão avançando sempre no sentido de validar a concessão do Maracanã. Porque sem o Flamengo eles não consolidam a posição. O único cacife que o Flamengo tem é exatamente o mando de campo. Enquanto o Flamengo não negociar o seu mando de campo, eles não têm certeza de nenhuma negociação que possa prosperar no Maracanã. A luta de braço é essa - disse Marcio, que conseguiu ao menos o estudo de viabilidade na redação final do contrato. O ex-presidente, que na eleição do ano passado apoiou a Chapa Azul, ainda contestou o curto prazo para análise dos documentos pelos conselheiros. Eu até achava na semana passada, quando colocaram isso na quinta-feira para ser apreciado e votado na terça-feira, que era um pouco açodado. Não dá para formar opinião em três ou quatro dias de um negócio que é de altíssimo interesse do Flamengo. Mas essa ideia de dar mais uns 10 dias para discussão não prosperou. Questionado sobre as muitas vezes em que o Flamengo tentou a licença para construir o estádio, em diferentes tamanhos, na Gávea, Braga afirmou que o clube chegou a ter o documento em mãos, mas esbarrou no veto do governador Sérgio Cabral. Não, você está enganado. Tivemos o estádio na Gávea aprovado com licença de obras concedida pela Prefeitura no meu mandato. Tínhamos a licença de obra. Aí o Sérgio Cabral é que vetou, ele que tirou a licença, estava tudo aprovado na Prefeitura. Veio o governo do Estado e vetou para nos colocar participando da licitação do Maracanã. Esse foi o argumento. Tivemos de aceitar, ganharíamos a licitação e chega na hora, ele faz a licitação proibindo a participação dos clubes. O governador não honrou a sua palavra.(globoesporte.com)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Fla faz primeiro contato formal pela permanência de Elias e aguarda Fifa

Em meio à batalha entre jogador e Sporting, diretoria conversa com pai e representante do atleta. Entidade deve emitir parecer nos próximos dias. Apontado como o reforço que mais deu retorno na atual temporada, Elias conquistou a torcida do Flamengo. Para que a relação não passe apenas de um caso passageiro e se estenda, a diretoria deu o primeiro passo para contar com o jogador na próxima temporada, já que o contrato atual se encerra em dezembro. Segundo o GLOBOESPORTE.COM apurou, em setembro aconteceu a primeira conversa com Eliseu Trindade, pai e representante do meia. Agora, o Rubro-Negro monitora o parecer que a Fifa dará sobre a briga judicial de Elias com o Sporting, de Portugal. O clube tem a informação de que nos próximos dias a entidade deve se pronunciar sobre o caso. Elias entrou com uma ação na Fifa para cobrar do clube português direitos de imagem atrasados. O clube negou a dívida e afirmou que o único débito com o volante se referia ao contrato de direito de imagem que foi rescindido. Por meio de um comunicado oficial, o jogador revelou que há valores pendentes referentes ao mês de outubro de 2011 e sucessivas tentativas de pagamentos que não teriam sido honradas, o que classificou como "desinteresse". Mesmo que de forma involuntária, o Flamengo pode se beneficiar com a ida do jogador à Fifa, pois ele ficaria livre. A permanência do volante é uma das prioridades do diretor de futebol Paulo Pelaipe, que desde agosto começou a conversar com a diretoria sobre o assunto, até fazer o primeiro contato em setembro. O clube europeu fixou um valor salgado para negociar o volante com os brasileiros: € 8 milhões (R$ 24,3 milhões). Os portugueses são donos de 50% dos direitos econômicos do camisa 8, e a outra metade pertence a um grupo de investidores capitaneado pelo empresário português Jorge Mendes. Uma rescisão com os lusos, no entanto, facilitaria o processo. Elias tem vínculo com o Sporting até 2016. Contratado pelos portugueses em 2011 por € 8,8 milhões (R$ 26,8 milhões), o camisa 8 foi a maior negociação da história do time de Lisboa. O jogador recebia no Sporting € 1,3 milhão (R$ 3,9 milhões na cotação atual) por ano – cerca de R$ 330 mil mensais. A dívida que os portugueses teriam com ele gira na casa de R$ 2,6 milhões. Na contratação do jogador, o Flamengo comprometeu-se a pagar € 500 mil (R$ 1,5 milhão) no fim do vínculo, mesmo que não tenha interesse em ficar com ele. As partes só devem selar a negociação quando tiver um parecer da Fifa.(globoesporte.com)

domingo, 29 de setembro de 2013

Hernane vibra com artilharia no 'novo Maracanã': 'Aqui é mais gostoso'

Atacante, autor de dois gols contra o Criciúma, chega aos oito nesta nova fase do estádio, reaberto para clubes em julho depois de longa reforma. é definitivamente o homem-gol do Flamengo. Autor de dois na goleada por 4 a 1 sobre o Criciúma, ele é o artilheiro do "novo Maracanã", com oito. O camisa 9, aliás, é o goleador rubro-negro no Brasileiro, com nove gols, e também terminou o Carioca no topo, com 15 marcados. Perguntado sobre a situação, encarou com naturalidade, mas admitiu que balançar a rede no palco mais tradicional do futebol mundial é especial. Como já falei, artilharia, quando você menos espera, está em suas mãos. Graças a Deus, estou fazendo gols, ajudando o Flamengo, e no Maracanã acho que é mais gostoso fazer gol - comemorou. Jayme de Almeida também vibrou com o excelente momento de Hernane no estádio. O técnico elogiou muito o atacante, mas também disse estar torcendo por gols dele fora do Rio, como por exemplo na próxima quarta-feira, em Curitiba, onde o Fla encara o Coxa. É um jogador que luta todos os jogos. Torço para que ele tenha sorte fora do Maracanã. Tomara que ele faça uns golzinhos para gente na quarta-feira. Golzinhos, não. Golões. O centroavante vive de gols. Chegou o Moreno, ele (Hernane) perdeu espaço, perdeu a confiança e ficou triste com a reserva. Mas nunca deixou de treinar. Ele está dando conta do recado. Acho legal o Moreno, que respeita o momento do Hernane - disse o comandante. O camisa 9 ainda destacou o fato de o Flamengo ter conseguido um placar elástico, algo que considerava importante antes do início da partida. Sabíamos que seria difícil e que a equipe do Criciúma é excelente, mas tínhamos de conquistar os três pontos, e bem. A gente precisava fazer muitos gols para tirar esse saldo negativo. Veio a vitória distanciada, com quatro gols, e fui feliz, com a ajuda dos meus companheiros, de fazer dois. Dá confiança para o jogo com o Coritiba - acrescentou. O Brocador ainda explicou por que pediu calma à torcida rubro-negra na comemoração de seu primeiro gol: - Antes de começar o jogo a torcida já estava pedindo raça. Pedi para ela ter paciência. Ela tem todo o direito de cobrar, sabemos que o Flamengo está com dificuldades, mas vamos tirar o time dessa situação.(globoesporte.com)