8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ

8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ
EQUIPE REUNIDA NA REALIZAÇAÕ DA FEIJOADA

sexta-feira, 28 de março de 2014

Sócio do Fla paga pela semi preço de um jogo no pacote Libertadores

Participantes do programa do clube, beneficiados com o menor preço, desembolsam R$ 50 para ver jogo da semifinal do Carioca contra a Cabofriense. A política de preços para os jogos do Flamengo continua sendo alvo de questionamento intenso. Mesmo depois de um público muito baixo (3.625 pagantes) no jogo de ida contra a Cabofriense, pela semifinal do Carioca, o clube ainda cobra caro para os torcedores comparecerem sábado, no segundo encontro, no Maracanã. O sócio-torcedor, por exemplo, pagará R$ 50 para os setores Norte e Sul, mesmo valor de uma partida no pacote vendido para a fase de grupos da Taça Libertadores. A alegação para o confronto com a Cabofriense é de que os ingressos começaram a ser vendidos antes do primeiro jogo da semifinal. O clube mantém seu ponto de vista de que o preço vai além do que é cobrado na bilheteria. No entanto, nenhum dirigente se pronunciou sobre o assunto. Mesmo sabendo que o confronto seria com a Cabofriense e não um clássico, o Flamengo colocou os ingressos mais caros do que o primeiro jogo das semifinais, que tinha mando da equipe de Cabo Frio. Norte e Sul, por exemplo, estão vendidos 33% acima do que foram cobrados na vitória por 3 a 0, quarta-feira. A reclamação sobre o preço ingressos já causou até conflitos entre torcedores e o presidente Eduardo Bandeira de Mello e um de seus filhos. Faixas e gritos nas arquibancadas dos estádios são frequentes pedindo para que os valores sejam reduzidos. Apenas em uma ocasião, o Flamengo iniciou uma promoção para o sócio-torcedor. Um dia depois de perder para o Bolívar, em La Paz, o clube anunciou preços especiais para o jogo contra o León, dia 9 de abril, por tempo limitado. No entanto, não há prazo estipulado na nota. Ao torcedor comum, a venda para o confronto será aberta no dia 31 de março. O problema é que o time estará eliminado da Libertadores em caso de derrota para o Emelec-EQU, dia 2 de abril, em Guayaquil. Entre comissão técnica e jogadores, apenas lamentações por um estádio deserto e sem atmosfera de decisão. O técnico Jayme de Almeida já falou sobre o assunto outras vezes e a competição vem sendo tratada como fracasso de público até mesmo na Federação do Rio. - Foi pouca gente mesmo para uma semifinal, mas a gente tem certeza de que na Libertadores a torcida vai lotar. Esperamos o mesmo no sábado - afirmou o meia Everton.(globoesporte.com)

quinta-feira, 27 de março de 2014

Fla projeta jogos fora do Rio para lucrar no Brasileirão pré-Copa

Com o Maracanã à disposição da Fifa cerca de um mês antes do Mundial, clube deseja pegar São Paulo, Bahia e Figueirense fora do estado. Assim como no ano passado, um Flamengo itinerante deve entrar em ação no início do Brasileirão de 2014. Com a interdição dos estádios que serão utilizados na Copa do Mundo cerca de um mês antes do início do evento, o Rubro-Negro deve ficar sem lar nas quinta, sexta e oitava rodadas, e já estuda oportunidades para lucrar nos confrontos diante de São Paulo, Bahia e Figueirense, respectivamente. A intenção da diretoria também é minimizar o prejuízo por ficar 45 dias sem entrar em campo durante o Mundial. Com o panorama de momento, viagens e amistosos neste período estão praticamente descartados. O Brasileirão será paralisado no dia 1º de junho, quando o Fla encara o Cruzeiro, em Belo Horizonte, pela nona rodada, e só retorna no dia 16 de julho, com o confronto com o Atlético-PR, no Maracanã (a previsão é de que a Fifa libere o estádio imediatamente após a final da Copa). O planejamento rubro-negro para este período ainda não está confirmado, mas a ideia é de que o elenco ganhe folga de 15 dias e se reapresente no Ninho do Urubu para bateria de exames médicos e testes físicos, como é feito durante a temporada. O clube chegou a fazer contatos por amistosos ou até mesmo uma viagem para os Estados Unidos, mas concluiu que, com as atenções dos amantes do futebol voltadas para o Mundial, a medida não seria rentável. Em 2013, Brasília e Florianópolis receberam partidas do Rubro-Negro como mandante durante o Campeonato Brasileiro. A Capital Federal, por sua vez, está descartada, já que o Mané Garrincha também será utilizado no Mundial. A intenção é fazer valer a popularidade do Flamengo para movimentar cidades que não serão sede da competição. O foco, como de costume, está no Nordeste. A possibilidade de o clube utilizar soluções caseiras, como Volta Redonda e Macaé, está praticamente descartada.(globoesporte.com)

quarta-feira, 26 de março de 2014

Cabofriense x Fla: por final, sonho do pequeno contrapõe drama do grande

Nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Maracanã, jogo de ida das semifinais do Campeonato Carioca coloca frente a frente momentos distintos na gangorra do futebol. O confronto de um grande contra um pequeno no futebol sempre é recheado de histórias de Davi e Golias. O desta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Maracanã, válido pelo jogo de ida das semifinais do Campeonato Carioca, vai além. Enquanto a Cabofriense vive a chance de realizar um sonho de verão para chegar à final, o Flamengo entra em campo pressionado por um risco de eliminação precoce na fase de grupos Libertadores. Embora o Rubro-Negro só decida sua sobrevivência na competição sul-americana na semana que vem, contra o Emelec no Equador, perder a vaga na decisão estadual poderá criar uma crise na Gávea. Até por isso, a classificação para a final é encarada como motivação a mais para que o elenco busque a reação no torneio continental. Para ajudar, o Rubro-Negro, por ter tido a melhor campanha da Taça Guanabara, terá a vantagem de dois empates para avançar. Uma vitória e uma derrota pelo mesmo placar levará a decisão para os pênaltis. Sem salto alto, o Fla espera por dificuldades bem maiores do que na rodada passada, quando uma equipe formada na maioria por reservas aplicou 5 a 3 sobre a Cabofriense. Vai ser um jogo diferente. Ali, a gente já estava classificado e eles correndo atrás da vaga. Acabaram conseguindo. Agora, o jogo vai mudar. Vão estar mais fechados e atentos. Os detalhes decidem os jogos - analisou Paulinho, autor de um gol na ocasião. Já o time da Região dos Lagos almeja entrar para uma seleta lista. Desde 2006, quando o Madureira perdeu a final do estadual para o Botafogo, uma equipe de menor expressão não chega à decisão. O último a conquistar o título foi o Bangu, em 1966. Dos clubes do interior do Rio de Janeiro, o Americano, em 2002, e o Volta Redonda, em 2005, já foram vice-campeões. A Cabofriense luta para ser mais um a surpreender, no entanto, precisará uma sequência negativa de cinco jogos sem vitórias na competição. O campeonato tem 15 jogos. Tivemos cinco em Cabo Frio e dez fora. Claro que tem um peso. Não é o único, mas é importante. A coisa boa disso tudo é que fizemos gordura. A gente dividiu por etapas o Carioca - explicou o técnico Alexandre Barroso. Grazianni Maciel Rocha apita a partida, com auxílio de Lílian da Silva Fernandes Bruno e Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá. A Rede Globo transmite a partida. O Premiere e Premiere HD exibem ao vivo através do sistema pay per view.(globoesporte.com)

terça-feira, 25 de março de 2014

Hernane ou Alecsandro? Números apontam vantagem para o reserva

Dono da posição, Brocador tem um gol marcado na Taça Libertadores, mas perde em números absolutos e média por partida. Jayme, por sua vez, se mostra paciente. Os dois gols de Alecsandro na vitória por 5 a 3 sobre a Cabofriense, domingo, na entrega da Taça Guanabara, despertaram mais uma vez a disputa pela vaga no ataque do Flamengo. Reserva, o jogador é o artilheiro do time na temporada, com nove gols. No entanto, o dono da posição ainda é Hernane, maior goleador do Brasil em 2013, mas que ainda não engrenou em 2014. Segundo o técnico Jayme de Almeida, Hernane segue como titular, com seis gols marcados este ano, sendo um deles na Taça Libertadores. No treinamento desta segunda-feira, ele participou do treinamento técnico, com oito jogadores de cada lado, ao lado do time principal. Alecsandro se mantém como sombra, tendo feito gols apenas no Carioca. O fato de ter balançado a rede na Libertadores é a única vantagem de Hernane sobre o rival no momento. Alecsandro disputou 13 jogos e tem média de gols de 0,69. O Brocador jogou 11 vezes, chegando a 0,54 de média. Apesar de ter entrado mais vezes em campo, Alecsandro tem apenas 591 minutos jogados pelo Flamengo, e Jayme o escalou como titular em cinco oportunidades. Já Hernane soma 969 minutos e foi substituído apenas uma vez nos 11 jogos em que atuou. No total, Hernane marcou em apenas três jogos. Foram quatro gols na goleada por 5 a 2 sobre o Macaé. Ele ainda tem um na vitória sobre o Nova Iguaçu e outro quando o Flamengo venceu o Emelec (3 a 1). Alecsandro fez gols contra Duque de Caxias, Boavista (3), Resende (2), Bonsucesso e Cabofriense (2). Apesar dos números a favor, Alecgol mantém o discurso de respeito e solidariedade a Hernane que o tem marcado desde que chegou ao Flamengo. Ciente de que cada vez que balança as redes coloca uma pulga atrás da orelha de Jayme, o centroavante deixa clara a vontade de ser efetivado como o homem gol preferido dos rubro-negros, mas em tom polido. - Fico feliz pelo momento, por poder vestir a camisa de um grande clube e poder levar a vitórias e títulos com meus gols. A opção da titularidade é total e exclusiva do treinador. Como funcionário, tenho que respeitar, como sempre fiz ao longo da carreira. Lógico que a vontade de jogar é válida e tem que acontecer. Tem que ser diário esse desejo. O jogador que se acomoda com a reserva não serve na minha equipe. É preciso ficar inconformado e mostrar o caminho treinando sempre como se fosse jogo. Tem que estar bem fisicamente, psicologicamente, e as coisas vão acontecer naturalmente. O respeito é grande pelo Hernane e pelo treinador.
Alecsandro, por outro lado, sabe que os números jogam a seu favor. Assim como Hernane aproveitou as brechas dadas por Marcelo Moreno no ano passado, o jogador tem cumprido melhor o seu papel do que o Brocador e pregou paciência para que a condição de titular seja conquistada naturalmente, e não na base do grito. - Paciência é um palavra interessante que carrego na minha vida como um objetivo. Até com meus filhos, com tudo, o ser humano tem que ser paciente e não passional. Não pode ser moroso, mas a paciência tem que existir. Se não for assim, às vezes você erra por não tê-la. Trabalho muito e acredito no meu potencial. Acredito em trabalho, em números que aparecem. Fiquei feliz quando abri o site (GloboEsporte.com) e vi que estava na seleção do campeonato. É o que me fortalece, o que me dá prazer para trabalhar. Não sou titular, mas procuro meu espaço e tenho conquistado de uma forma leal e amigável, com uma postura profissional. Acho que neste momento é válido estar tranquilo e paciente para que aconteça no momento certo. Quarta-feira, o Flamengo encara a Cabofriense, no Maracanã, às 22h (de Brasília), pela semifinal do Campeonato Carioca. Jayme de Almeida não confirmou a equipe, mas a tendência é que Hernane seja mantido. A paciência, virtude tão elogiada por Alecsandro, de Jayme e da torcida ainda é grande com o Brocador, fruto dos 36 gols marcados na temporada passada.(globoesporte.com)

segunda-feira, 24 de março de 2014

Campeão, Felipe avisa: 'Taça não vai valer nada se não conseguirmos mais'

Goleiro lembra necessidade de faturar estadual, e Alecsandro valoriza conquista do primeiro turno: 'Para muitos não é nada, mas nós sabemos a importância dessa taça'. Campeão da Taça Guanabara com duas rodadas de antecedência, o Flamengo só pôde erguer o troféu na noite deste domingo, após a vitória por 5 a 3 sobre a Cabofriense, no Maracanã. Houve uma pequena cerimônia da entrega da taça, muita comemoração e até uma tímida volta olímpica em campo. Os jogadores rubro-negros festejaram bastante, mas em meio à festa Felipe fez um alerta ao grupo da necessidade de se buscar o título do Campeonato Carioca. - Sabemos que essa festa da taça não vai valer nada se não conseguirmos mais resultados. Vamos aproveitar hoje, descansar e já começar a trabalhar para a quarta-feira. Espero um Maracanã cheio - afirmou o goleiro. O Fla também faturou o troféu do Torneio Super Clássicos, dado à equipe que mais pontuasse nos clássicos do primeiro turno. Capitão do Fla, Léo Moura não jogou neste domingo para ser poupado para a reta final do Carioca e os próximos jogos pela Libertadores. Mas mesmo sem ser relacionado, o lateral-direito esteve no estádio, participou da comemoração no campo e foi o responsável por erguer a Taça Guanabara. Logo depois, fez coro às palavras de Felipe. - Título merecido para este time. Agora vamos atrás do Carioca.Na briga pela artilharia do estadual, Alecsandro foi um dos mais felizes após a partida. O atacante, que balançou a rede duas vezes contra a Cabofriense, chegou a nove gols e está só um atrás de Edmílson, com dez. Contratado para essa temporada como sombra de Hernane, o centroavante rubro-negro valorizou a briga pelo posto de goleador e a conquista do primeiro turno, o qual considerou o primeiro título pelo clube. - Estou feliz por esse primeiro título no Flamengo. Para muitos não é nada, mas nós sabemos a importância dessa taça, de ser campeão logo no início. O título é para todos nós. Temos um elenco de mais ou menos 30 jogadores, e todos devem ser parabenizados por essa conquista. Todos têm participação nisso. O mais importante é o Flamengo ser campeão, mas claro que se eu for também o artilheiro vou ficar bastante feliz. Com 38 pontos, o Flamengo terminou o primeiro turno na primeira posição geral e enfrenta a Cabofriense, quarta colocada com 25, com a vantagem de dois empates para chegar à decisão. Uma vitória e uma derrota pelo mesmo placar leva a decisão para os pênaltis. As duas equipes se enfrentam nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), e no sábado às 18h30m, no Maracanã.(globoesporte.com)