A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS

A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS
encontro das embaixadas na gávea!

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Wallace, sobre polêmica: “Não vou deixar cair mais essa na minha conta”

Zagueiro explica entrada em campo na Arena da Amazônia, diz que gesto de fincar bandeira não foi menosprezo ao Vasco e lamenta constrangimento às crianças. Ao fincar a bandeira no círculo central da Arena Amazônia, em Manaus, Wallace não tinha ideia de que acabara de marcar território em grande polêmica. Questionamentos, ironias por parte do Vasco depois da derrota por 2 a 0 e cara de ponto de interrogação dos pequenos mascotes, que nada entenderam ao verem capitão e time entrarem em campo em disparada. As crianças tiveram que esperar o hino nacional para ficar ao lado dos ídolos. Em contato com o GloboEsporte.com, o zagueiro comentou pela primeira vez sobre a polêmica. - Rapaz, olha só... Não vou deixar cair mais essa na minha conta. Tenho lido e ouvido muita besteira. Ainda estou aqui tentando digerir essa derrota para o rival, e é duro aguentar tudo isso calado. Disseram que a ideia foi minha, o que não é verdade. Todo mundo sabia dessa ação e eu, como capitão, concordei quando soube. E é bom que fique claro que não houve qualquer tentativa de menosprezar o adversário, mas sim fazer uma homenagem à nossa torcida e também mostrar que estávamos motivados para a decisão – afirmou o zagueiro, que não participou das atividades desta terça-feira, no Ninho do Urubu, por ter sido liberado para ir a Salvador resolver problemas particulares. O gesto inusitado rendeu munição aos vascaínos, lembrando, com fotos, que os jogadores deram as mãos e entraram em campo ao lado dos pequenos torcedores. O zagueiro Rodrigo provocou ao final da partida, com 2 a 0 no placar e a vaga na final garantida. - Cadê os gritinhos? Aqui ninguém marca território não - disse o jogador do Vasco. Wallace lamentou o constrangimento causado para as crianças que aguardavam à beira do campo. E deu sua explicação: - Em momento algum a intenção do grupo era decepcioná-las. Atendemos aos torcedores desde a chegada a Manaus, tanto no aeroporto, quanto no treino, hotel, estádio. Tenho dois filhos pequenos e lamento que isso possa ter causado qualquer constrangimento para as crianças e seus pais. E como era consenso que entraríamos correndo em campo, e tinha muita criança pequena parada ali, ficamos com medo de elas caírem. O zagueiro e capitão do Flamengo aproveitou para comentar as declarações de Beto ao GloboEsporte.com. O ex-jogador, que foi capitão do Flamengo em algumas ocasiões, condenou a escolha do jogador como capitão. - Se o treinador na época achava que o Beto era exemplo dentro e fora de campo, e com perfil para ser capitão... Mas sobre esses nomes (Léo Moura sugeriu que houvesse troca de capitão) eu prefiro falar num outro momento - concluiu Wallace.(globoesporte.com)

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Promessa é dívida e Flamengo leva troféu ”ABACAXI"

Criado pelo inesquecível Chacrinha, o troféu abacaxi servia para premiar pessoas e celebridades que se superavam nas bobagens e piadas sem graça. O Flamengo, com o devido respeito que a nação rubro-negra merece, se superou. O presidente Eduardo Bandeira de Mello idem. A torcida porém deve tirar o chapéu para o dirigente. Ele cumpriu exatamente o que havia prometido no início da temporada. O Flamengo ignorou literalmente o campeonato estadual. O dirigente peitou a federação e disse que a Primeira Liga seria prioridade. Pois sim. O que Bandeira não contava é que o time fosse fracassar na Primeira Liga e ser novamente eliminado pelo Vasco no estadual, que no íntimo era a tábua de salvação do primeiro semestre. Hoje o que se vê é o Flamengo sendo motivo de chacota e piada nas redes sociais. A falta de respeito virou de lado. O que Bandeira não enxerga é o fracasso do departamento de futebol do clube. Caro ao extremo aos cofres do clube e de resultado zero. É impressionante a quantidade de jogadores improdutivos e sem identificação alguma com a história do Flamengo. O mais curioso é que esses mesmos jogadores seguem prestigiados, intocáveis e com uma marra inaceitável. Pobre Muricy. Esse parece cada vez mais convencido de que entrou numa barca furadíssima. E o que dizer do incontestável Rodrigo Caetano? Mas diante desse cenário devastador o torcedor ainda tem o que comemorar. O Flamengo passou vergonha longe de sua verdadeira torcida. Distante do Maracanã. Uma coisa é indiscutível: O troféu abacaxi, mesmo antes do campeonato terminar, é dele. Eduardo Bandeira de Mello.(POR Bruno Voloch - Fonte: Yahoo Esporte - Coluna do Flamengo)