8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ

8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ
EQUIPE REUNIDA NA REALIZAÇAÕ DA FEIJOADA

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

RAFINHA: "Derrubei mais um gigante"

Atacante se emociona ao marcar primeiro gol pelo Flamengo. Rafinha foi o destaque na vitória sobre o Vasco. O jovem Rafinha acredita que tem de derrubar um Golias por dia para se firmar como jogador de futebol profissional. Por ser baixinho e magrinho, o atacante sempre teve de escutar que era muito franzino para brilhar com a camisa do Flamengo. Porém, no clássico desta quinta-feira, quando o Mengão venceu o Vasco por 4 a 2, com um golaço do menino, o atleta provou que tem tudo para ficar para sempre na memória dos torcedores. "Falaram que eu não ia chegar e hoje derrubei mais um gigante. Se Deus quiser vou derrubar ainda mais. Tenho os pés no chão e matando um leão por dia e sem me iludir vou chegar longe. Vou levando minha vida assim. Sei que tudo pode mudar, mas vou me dedicar muito para conseguir continuar bem", disse Rafinha, que confessou ter ficado emocionado ao marcar seu primeiro gol com a camisa rubro-negra. "Foi uma emoção muito grande. Lembrei da minha mãe e de tudo que passei para chegar aqui. Estou muito feliz. Me dedico nos treinos e hoje estou colhendo esses frutos", comemorou. O golaço de Rafinha, que arrancou com a bola de trás do meio campo, deixando três adversários para trás e só parando após dar um belo toque na saída do goleiro, também foi elogiado pelo técnico Dorival Júnior. "É um grande menino. Um jogador que parte para cima dos adversários, não se intimida. Ele pode desarticular a defesa adversária e hoje fez uma bela partida", analisou Dorival. A boa atuação de Rafinha no primeiro clássico de sua carreira chamou a atenção também dos veteranos. "O menino é exuberante. Ele é um grande companheiro e também um profissional diferenciado. Espero que ele possa nos ajudar muito. É humilde, só posso parabenizar. Ele merece o que vem passando", disse Cléber Santana. (Comunicação site oficial do Clube de Regatas do Flamengo).

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Diretoria do FLAMENGO já encomendou estátua de ZICO para a Gávea

Galinho, que deixou clube em 2010 em atrito com a gestão de Patricia Amorim, receberá homenagem na calçada da fama da sede em 3 de março. Se a relação azedou entre o maior ídolo do Flamengo, Zico, e a gestão de Patricia Amorim, o carinho que o ex-jogador recebe da nova diretoria do clube será traduzido em uma homenagem que, até hoje, o craque só recebeu no Japão, onde atuou no fim da carreira, sendo reconhecido por elevar o futebol do país a um nível profissional. O presidente Eduardo Bandeira de Mello e seus executivos já encomendaram uma estátua do ídolo, que será inaugurada no dia 3 de março, dia em que o Galinho de Quintino completará 60 anos, em festa na sede social. O molde de argila já está pronto, e a estátua ficará na calçada da fama do clube, na entrada principal da Gávea. Os dirigentes, porém, mantêm sigilo sobre o local onde a homenagem será preparada, bem como o custo e o material usado. Zico apoiou abertamente a candidatura de Wallim Vasconcellos, que acabou impugnado por questões relacionadas ao seu tempo como associado e foi substituído por Bandeira de Mello na presidência. Depois de anos afastado, ele retornou ao clube como diretor executivo de futebol de Patricia Amorim, em junho de 2010. Abarrotado por problemas como a prisão de Bruno e a saída de Adriano, Zico ficou apenas alguns meses no cargo, deixando o clube sob ataques do Conselho Fiscal, na voz do presidente do órgão, Leonardo Ribeiro. Sem respaldo, Zico acabou deixando a Gávea magoado, comunicando a decisão através do seu site oficial. Amigo de Luiz Eduardo Baptista, o Bap, presidente da Sky e atual vice de marketing do Flamengo, Zico se aproximou da Chapa Azul em oposição à Patricia Amorim, derrotada nas urnas no dia 3 de dezembro. Logo após a vitória do grupo, o Galinho manifestou sua felicidade com o resultado nas urnas rubro-negras. - Eu apoio com convicção pessoas em quem eu acredito. Eles, inclusive, queriam me ajudar no tempo em que eu estava lá. Vão encontrar dificuldades, estou certo, mas têm inteligência suficiente para fazer o melhor para o Flamengo - disse o ídolo, na ocasião. A homenagem a Zico não se resumirá ao monumento. Está sendo preparada pelo movimento "Zico 60 anos", iniciativa de torcedores partidários da nova diretoria, uma música para a festa por quatro compositores: Arlindo Cruz, Sandra de Sá, André Diniz e Evandro Bocão. Para interpretar, além dos autores, deverão ser convidados artistas rubro-negros, como Diogo Nogueira, Neguinho da Beija Flor, Moraes Moreira e Jorge Ben Jor. O movimento "Zico 60 anos", que já invadiu as redes sociais, terá também campanha nesta sexta-feira, no Centro, com distribuição de adesivos, camisas e colocação de faixas. Os líderes do movimento pedem que, no dia 3 de março, os rubro-negros de todo o Brasil vistam a camisa do clube em homenagem ao craque.(globoesporte.com)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

FLAMENGO vence Uberlândia, iguala próprio recorde e fecha turno perfeito

Vitória por 87 a 78 é a 17ª consecutiva do time carioca, que entra para a história como único time a terminar a primeira metade do NBB invicto. Numa segunda-feira que começou com uma ressaca sem fim, em razão da tragédia que matou 231 pessoas em uma boate de Santa Maria (RS), e ficou ainda mais triste com a morte do técnico Ary Vidal, um dos heróis da emblemática conquista dos Jogos Pan-Americanos de Indianápólis, em 1987, o Flamengo fez história duas vezes. Liderado mais uma vez pelo ala Marquinhos, que anotou 23 pontos e ultrapassou a marca de 2.500 no NBB, o time carioca não se intimidou com o caldeirão em que se transformou o ginásio Homero Santos, em Uberlândia, venceu os donos da casa por 87 a 78 (44 a 41), em partida adiada da quinta rodada, e chegou à incrível marca de 17 vitórias consecutivas. Além de ampliar seu melhor início de temporada, o líder isolado do torneio igualou seu próprio recorde, estabelecido na edição de 2008/2009, e se tornou a primeira equipe a terminar o primeiro turno do NBB de forma invicta. De quebra, impôs ao Uberlândia a primeira derrota em seu ginásio na competição. As duas equipes voltam à quadra nesta quinta-feira pela 19ª rodada do NBB, na abertura do returno. Enquanto o Flamengo recebe o Vila Velha no ginásio do Tijuca, às 20h, o time mineiro, que caiu para o terceiro lugar, terá um compromisso bem mais difícil: o Basquete Cearense, às 21h, em Fortaleza. Como já virou hábito, Marquinhos foi o cestinha do Flamengo com 23 pontos. O ala ainda anotou seis rebotes, uma assistência e uma bola roubada. Olivinha, seu fiel escudeiro, também brilhou mais uma vez. Com 11 pontos e 12 rebotes, o ala-pivô anotou um duplo-duplo. Caio Torres, com 11 pontos e nove rebotes, Benite, que anotou 12, e o americano Kojo, com 11, também contribuíram para o 17º triunfo consecutivo. Apesar da derrota, Luis Gruber anotou 25 pontos e sete rebotes e terminou o clássico como cestinha. Homenagem a Ary Vidal Antes de a bola subir, foi respeitado um minuto de silêncio em memória do ténico Ary Vidal, que faleceu na tarde desta segunda-feira. Empurrado pela torcida que lotou o ginásio, o Uberlândia abriu o placar com uma cesta de três pontos de Luis Gruber, mas foi o Flamengo que diitou o ritmo nos primeiros dez minutos. Depois de errar seus três primeiros arremessos na partida, Marquinhos antou sete pontos seguido e comandou o time carioca na vitória parcial por 23 a 18. Feliz se destaca O segundo quarto começou como terminou o primeiro, com o Flamengo sufocando o adversário. O personagem também foi rubro-negro:o pivô Feliz. Nos 7min55 que esteve em quadra, o camisa 5 conseguiu o feito de acertar todos os quatro arremessos de quadra que tentou, anotando oito pontos, e fazer quatro faltas. O Uberlândia, que chegou a estar perdendo por nove pontos, reagiu e diminuiu a diferença para apenas um ponto. Mas com uma cesta do meio da rua do iluminando Marquinhos, a equipe carioca conseguiu uma folga no placar e foi para o intervalo vencendo por 44 a 41. Reação dura pouco Com Benite no banco de reservas, o Flamengo começou o segundo tempo sonolento. Melhor para os donos da casa, que anotaram quatro pontos seguidos e assumiram a ponta pela primeira vez na partida. A resposta rubro-negra, porém, foi imediata. Com o camisa 8 de volta à quadra, o time carioca rapidamente abriu nove pontos (63 a 54) e retomou o controle das ações. A confortável vantagem rubro-negra foi a senha para o técnico Hélio Rubens trocar Valtinho por Helinho no Uberlândia. O camisa 10 da equipe mineira entrou bem e, de cara, anotou uma bola de três pontos para diminuir o prejuízo para apenas seis. Quando parecia que o jogo voltaria a pegar fogo, os donos da casa desperdiçaram dois ataques seguidos. Por sua vez, o Flamengo acertou a mão e, com uma bola de três de Olivinha, e dois lances-livres certos de Kojo, abriu 11 pontos. O Uberlândia deu o troco na mesma moeda com Léo e Robert Day, e a diferença voltou a cair para seis pontos (68 a 62) no fim do período. Fla não dá brecha Disposto a não desperdiçar a oportunidade de igualar seu próprio recorde, o Flamengo começou quente nos últimos dez minutos com uma bola de três pontos de Kojo. O time da casa sentiu o golpe, passou a errar demais no ataque e viu a equipe carioca colocar 13 pontos (81 a 68) de frente. Mas com uma bola de três de Valtinho e outra de Helinho, a diferença caiu para sete, e o Uberlândia voltou para o jogo. Mas a regularidade do Flamengo falou mais alto, e com uma atuação segura e sem erros nos minutos finais, o líder do campeonato venceu a 17ª seguida e fez história. (GLOBOESPORTE.COM)