8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ

8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ
EQUIPE REUNIDA NA REALIZAÇAÕ DA FEIJOADA

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Copa do Brasil tem peso de ouro, mas Carioca ainda é sonho do Fla

Jorginho muda o discurso do fim de semana e não joga a toalha na Taça Rio: ‘Fla já conquistou campeonatos que ninguém imaginava. Jorginho ainda não jogou a toalha. Reconhece que a possibilidade de classificação do Flamengo para a semifinal da Taça Rio é quase nula, mas prefere manter a esperança. Com quatro pontos no Grupo B, o Rubro-Negro é o quarto colocado e está atrás de Duque de Caxias (que tem cinco), Fluminense (com dez) e Resende (com 12). Neste sábado, em Moça Bonita, o time enfrenta o Duque, às 16h. O técnico rubro-negro assegura que sua equipe brigará até o limite das chances, mas não nega que a Copa do Brasil passou a ter peso de ouro para o clube. Nesta quarta-feira, o time venceu o Remo na estreia, por 1 a 0, em Belém. O resultado não bastou para eliminar o jogo de volta, dia 17, no Rio, mas deixa o Rubro-Negro com a vantagem do empate para ir à próxima rodada. - Naturalmente essa competição se torna muito importante para a gente, nossas chances são mínimas (na Taça Rio), mas quero deixar claro que existem. Vamos nos agarrar a essa chance que temos no Carioca. Vamos procurar ganhar os nossos jogos para termos o mínimo de possibilidade. A Copa do Brasil nesse momento é a nossa prioridade. Prioridade que não significa exclusividade. Jorginho pretende manter força máxima no estadual. Recém-chegado, o técnico comandou a equipe contra Boavista, Bangu, Audax e Remo. - Vamos por partes. Não dá para priorizar uma competição se a gente não está completamente eliminado. O Flamengo é uma equipe que sempre foi de superação, já conquistou campeonatos que ninguém imaginava. Enquanto estivermos com fôlego, respirando, vamos tentar. No Carioca, além do Duque de Caxias, o Flamengo tem que enfrentar Fluminense e Macaé. O treinador diz que até o segundo jogo contra o Remo a atenção será concentrada na Taça Rio. - A gente muda completamente o foco. A gente retorna para a situação difícil que a gente se encontra, mas a vitória (sobre o Remo) eleva o ânimo do grupo, aumenta a credibilidade com o torcedor. É o nosso ideal, nosso objetivo, mas não é fácil fazer isso em duas semanas. Não temos tempo de treinar. A gente precisa de um tempo para trabalhar e a coisa vai acontecer. O vencedor do confronto entre Flamengo e Remo encara na segunda fase da competição Campinense, da Paraíba, ou Sampaio Corrêa, do Maranhão, que duelam em Campina Grande, no dia 10.(globoesporte.com)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Presidente minimiza momento de crise do futebol do FLAMENGO: "Acontece"

Eduardo Bandeira de Mello enfrenta a primeira turbulência de sua gestão: ‘Entendo que a torcida fique insatisfeita, mas vamos resolver com trabalho’. Eduardo Bandeira de Mello viajou do Rio a Belém para duas missões: promover o novo programa de sócio-torcedor do Flamengo e acompanhar a estreia do time na Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 22h, contra o Remo, no Mangueirão. Se o programa lançado na semana passada vai bem e está próximo da marca de dez mil adesões, o futebol rubro-negro vive dias de crise. Trata-se da primeira turbulência da gestão do presidente, que se mostra incomodado com o momento ruim do time, mas ao mesmo tempo procura acalmar os ânimos. - Entendo que a torcida fique insatisfeita, mas vamos resolver com trabalho, dedicação e responsabilidade – disse. O mandatário trata as oscilações da equipe com naturalidade e nega caça às bruxas. Segundo Bandeira de Mello, as dificuldades financeiras do clube não permitem loucuras. Portanto, o torcedor precisa ter paciência à espera de reforços importantes, apesar de a diretoria ter aberto negociações. - Não dá para fazer nenhum tipo de loucura porque você teve um, dois ou três resultados que não foram aqueles que esperávamos. Sair contratando e começar a fazer loucuras não tem nada a ver com o que estamos esperando da nova adminstração do Flamengo. Abaixo, o internauta confere os principais trechos da conversa: TURBULÊNCIA NO FUTEBOM: - Nós temos que estar preparados para momentos como esse. Todos ficaram muito tristes com a derrota para o Audax (domingo passado). Eu não sou diferente, sou torcedor igual aos outros. Sei também, e já conversei com (Paulo) Pelaipe, com Jorginho, que eles (jogadores) ficaram muito chateados e também não podia ser diferente. Afinal de contas, isso aqui é Flamengo. Temos de encarar com naturalidade, não podemos esquecer que é um time em formação, que esse tipo de coisa acontece. Já vi o Flamengo do Zico, Adílio, Carpegiani, perder para o Botafogo da Paraíba no Maracanã. Eu vi, sofri lá num sábado à noite. Esse tipo de coisa acontece. O importante é comparar e avaliar o trabalho como um todo. Acho que o trabalho está sendo bem feito e os resultadsos vão aparecer muito em breve. PRESSÃO POR CONTRATAÇÕES DE PESO: - Não é só questão de paciência, mas de responsabilidade. Não dá para fazer nenhum tipo de loucura porque você teve um, dois ou três resultados que não foram aqueles que esperávamos. Sair contratando e começar a fazer loucuras não tem nada a ver com o que estamos esperando da nova adminstração do Flamengo. Tem que ser trabalho de longo prazo, com responsabilidade, e assim vai ser feito. Não se trata de pressão. Existe necessidade de reforçar o time, ela já vinha sendo sentida desde que assumimos. Estava na nossa programação fazer ajustes no fim do estadual para a Copa do Brasil e o Brasileiro. Assim será feito. Entendo a reação da torcida, mas não vai ser nenhom tipo de pressão que vai fazer entrarmos na irresponsabilidade. MUDANÇA DE TREINADOR: - Não acredito que esteja prejudicando. Todo início de trabalho tem a transição natural, pode ter algum contratempo, mas nada que possa se dizer que a mudança prejudicou. É natural que um time como o do Flamengo oscile. Às vezes, joga mal e ganha. Às vezes, oscila, joga mal e perde. O time vai ter que se reforçar, vai ter, evidentemente. Mas não é nada que leve à caça às bruxas, a uma ação imediatista e emergencial que só vai prejudicar o time. PLANOS PARA A FALTA DO ENGENHÃO: - A ideia do Flamengo é o Maracanã, a patir do fim da Copa das Confederações. Esperamos que venha a ser o estádio do Flamengo. Até lá, vamos usar solução emergencias. O Flamengo tem torcida no Brasil inteiro, mas esse tipo de solução (levar para outros estados) teria que ser negociado com a Federação do Rio e o eventual adversário. Não está descartado, mas tem que ser negociado com CBF, Ferj e adversário. SÓCIO TORCEDOR: - Estamos bastante animados. Em menos de uma semana estamos chegando a dez mil sócios-torcedores. Estamos além das expectativas. A perspectiva é que melhore ainda mais. Já temos vários aqui em Belém, vamos fazer um trabalho de aproximação com eles e pretendemos fazer no Brasil inteiro. O “Nação Rubro-Negra” é nossa grande esperança para que o Flamengo possa dar uma virada na sua situação financeira. A torcida do Flamengo vai poder participar e efetivamente ajudar o clube. CERTIDÕES NEGATIVAS E PATROCINADORES: - Assim que a gente tenha todas as certidões negativas, vamos poder negociar em termos concretos, inclusive com estaduais. Certidões abrem caminhos de se conseguir recursos, abre caminhos de patrocínio, tem a vantagem de viabilizar ingresso de incentivos fiscais, e efeito moral também. Há muito tempo o Flamengo não tem certidão negativa de débito. Vai ser a primeira vez que a torcida do Flamegno vai poder comemorar que não há divída com entidade pública. Não vou dizer o prazo (para conseguir as certidões que faltam) para não me comprometer assim com prazo definitivo. Está muito próxmo. Eu acho que é possível (conseguir em abril). Não vou prometer, mas é possível. RETOMADA DA CONSTRUÇÃO DO CT: - Se o prefeito (Eduardo Paes) falou na solenidade do aniversário do Zico, em 19 de março, na prefeitura, confiamos plenamente. Temos certeza de que vai acontecer e com esse recurso nós vamos concluir a parte do centro de treinamento voltada para os profissioais. Há contato quase que diarimente com a prefeitura, confiamos nela, tem sido grande parceira do Flamengo. Não vai demorar (a liberação de uma verba do município de R$ 5 milhões). Essa coisa de liberação de verba pública tem de obedecer ritos legais. O importante foi que o prefeito anunciou publicamente e nós vamos conseguir completar a parte do centro de treinamento. AUDITORIA DAS FINANÇAS: - Nós estamos muito próximos de anunciar os dados desse trabalho que está sendo feito. Não deve demorar. Não gostaria de citar o número total da dívida porque está na fase final. Estamos aos 49 do segundo tempo, esperando o juiz trilar o apito, está muito próximo, vocês vão saber os detalhes. CONTRATAÇÕES: - O Pelaipe está permanemtemente ligado no mercado de jogadores. Faz parte da função dele. O trabalho já começou de negociação, de prospecção. Assim que for possível a gente começa a anunciar.(globoesporte.com)