ENTREGA DE FRALDAS!

ENTREGA DE FRALDAS!
Fraldas em prol de Ryan Richar de Brito Leoni, internado no HJ, a 11 anos.

sábado, 26 de julho de 2014

Luxa revela “frio na barriga” e tira Felipe até dos reservas em treino

Vanderlei Luxemburgo na última quarta-feira e já terá pela frente uma missão que lhe causa frio na barriga: enfrentar o Botafogo, no Maracanã, neste domingo, às 18h30 (de Brasília), em clássico válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, mesmo ansioso pela reestreia, Luxa já começou a ‘mexer os pauzinhos’ e alterar algumas peças no time titular rubro-negro. O goleiro Felipe foi a primeira vitima. O arqueiro não participou nem da equipe reserva no coletivo deste sábado, acompanhado de perto pelos torcedores na Gávea. O meio-campista Elano, relacionado para partida, também não atuou nem com o colete. Na lateral esquerda, André Santos deu lugar a João Paulo, já que resolve problemas extra-campo com a diretoria após ter sido agredido por torcedores na última semana. No meio-campo, os volantes Cárceres e Luiz Antonio deverão começar entre os 11 iniciais. Mesmo recuperado, o brocador Hernane deverá dar lugar a Paulinho, Alecsandro e Everton. No lugar de Felipe entra Paulo Victor. Assim, a equipe deverá entra em campo no clássico com: Paulo Victor; Léo Moura, Wallace, Fernando e João Paulo; Cárceres, Luiz Antônio e Lucas Mugni; Paulinho, Alecsandro e Everton (Hernane). “Achei muito bom ter vindo aqui, com o campo bom, vestiário bom. É outro momento. Iniciamos uma nova etapa, com 27 rodadas para mudar a história. Com esse ambiente, com um dos jogos decisivos, não podemos colocar que só cabe a vitória, pois é um clássico contra um grande adversário. Temos que sair dessa zona de rebaixamento e começar a pensar em coisa boas. Com o ambiente favorável, e se a torcida abraçar, caminha bem. O torcedor quer um time que se doe por ele, pode até aceitar a derrota, mas desde que tenha uma equipe aguerrida com as características do clube”, analisou Luxa. Os fanáticos parecem realmente terem aderido ao projeto de Vanderlei Luxemburgo, a grande aposta da diretoria, já que em bom número – cerca de 600 – compareceram à Gávea neste sábado, com gritos de apoio ao Flamengo.(Gazetaesportiva)

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Luxemburgo trata volta ao Flamengo como convocação e diz: "Vem coisa boa"

Luxemburgo trata volta ao Fla como convocação e diz: "Vem coisa boa". Rubro-negro confesso, Vanderlei Luxemburgo iniciou nesta quinta-feira a sua quarta passagem pelo Flamengo. Depois de um período no qual procurou ficar mais próximo de sua família e observar os acontecimentos do futebol, aceitou a proposta para voltar ao clube pouco mais de dois anos depois de seu último trabalho na Gávea. Luxemburgo tratou o convite como uma convocação e já faz a sua estreia contra o Botafogo, domingo, no Maracanã. - Satisfação em voltar ao Flamengo. Não é um convite, é uma convocação e profissionalmente uma possibilidade muito boa. Estava em um período com a família, vendo coisas pessoais, viajando, conversando com pessoas do futebol de fora do Brasil, trabalhei na Copa do Mundo. Agora, voltei para o mercado, tive sondagens e propostas importantes, mas entendi que ainda não era o momento. Até que surgiu essa proposta, convocação e achei muito bom - disse Luxemburgo. A missão de Luxemburgo é tirar o time da lanterna do Campeonato Brasileiro. São apenas sete pontos somados em 11 rodadas. O técnico, porém, chega otimista, e acredita que há tempo suficiente para o Flamengo se recuperar. - Naquele época, em 2010, faltavam 10, 11 rodadas. Agora, são 27. Depois, ficamos o Carioca invicto e fomos para Libertadores. É nisso que o Flamengo tem que pensar. Agora, com 27 rodadas para terminar, as coisas são muito rápidas e dinâmicas. O São Paulo que foi tricampeão brasileiro chegou a visitar a zona complicada. O momento é de sacrifício, comprometimento... Falam que o elenco é fraco, é isso ou aquilo, mas a resposta vem nos 90 minutos. Quando o Flamengo ganhou a Copa do Brasil ou o Carioca, outras equipes eram fadadas a conquistar- afirmou. Para o treinador, a virada rubro-negra tem de começar já neste domingo. E o clássico com o Botafogo é a oportunidade ideal para dar início a essa volta por cima no Campeonato Brasileiro. - Futebol são 90 minutos e é muito bom. Ainda mais em um clássico, onde tudo pode mudar. É sempre muito bom jogar com um rival antigo nosso, bom para sair dessa confusão. É uma boa possibilidade para nós. Sem fazer previsões para o futuro no Flamengo na competição, Luxemburgo disse acreditar que "vem coisa boa" por aí...- Não vou dizer que é um título. Não tenha dúvidas de que o momento é de sair dessa confusão. O São Paulo, como eu disse, viveu essa situação. O Flamengo campeão brasileiro, virou o turno em 14º, 15º... Acho que vai acontecer coisa boa. Sobre a chegada de reforços, Luxemburgo preferiu não entrar em detalhes, e apenas elogiou o grupo que tem nas mãos para dar início ao trabalho. - Vou continuar dizendo que contratação é assunto interno. Vocês têm que buscar a informação, mas é algo que tem que ser tratado internamente. Esse grupo tem condições de sair desta situação - garantiu. Luxemburgo falou ainda sobre o fato de ter votado em Patricia Amorim no pleito que elegeu Eduardo Bandeira de Mello como presidente do Flamengo. O técnico disse não se arrepender, chamou a ex-presidente de amiga, mas também elogiou a atual diretoria do clube. - Existe um rótulo. Estou diante de pessoas que formam opinião. Quero contribuir com a nossa capacidade com esse grupo jovem. Votei na Patrícia e não me arrependo. É democracia. Acho que o Bandeira e seu grupo e estão bem no clube e não tenho porque não trabalhar com ele... São pessoas preparadas e entendem democracia. Minha defesa hoje é pelo Flamengo e pelo grupo. Fico feliz de ter contribuído com o CT e espero dar sequência, não com a Patricia mais, mas com o Bandeira. Quero trazer benefício, sem ser egoísta ou em ficar preocupado em ser mais importante - afirmou. A estreia de Luxemburgo no retorno ao Flamengo será neste domingo, às 18h30, no clássico com o Botafogo. O duelo marcará também o reencontro da torcida com o Maracanã após a Copa do Mundo.(globoesporte.com)

terça-feira, 22 de julho de 2014

Flamengo decide rescindir contrato de André Santos; Elano deve ser o próximo

Fla decide rescindir contrato de André Santos; Elano deve ser o próximo. A diretoria do Flamengo decidiu rescindir o contrato de André Santos. Dois dias depois de ser agredido por torcedores em Porto Alegre, o lateral foi chamado na manhã desta terça-feira pelo diretor de futebol Felipe Ximenes e comunicado da decisão. Ele vinha sendo um dos principais alvos dos torcedores diante da má fase do time, que ocupa a lanterna do Campeonato Brasileiro e não vence há oito jogos. O Flamengo não anunciou a saída porque o distrato não foi assinado. Entretanto, André Santos confirmou a informação. - Hoje (terça) de manhã cheguei para trabalhar no meu clube e recebi um comunicado do diretor executivo (Felipe Ximenes) de que meu contrato estava rescindido. Inclusive depois da agressão, o próprio clube me ligou perguntando se eu estava bem e tranquilo, soltaram uma nota ao meu favor no site do clube para comunicar o que tinha acontecido, sempre me ligando demonstrando preocupação comigo e hoje, a mesma pessoa, o Felipe Ximenes me chamou e me comunicou que meu contrato estava rompido - disse, via assessoria. Ele disse que chegou a chorar quando soube da decisão. - Olha, eu fiquei muito surpreso. Até porque eu já estou no clube há mais ou menos um ano e se você buscar o meu histórico, eu joguei a maioria das partidas, ganhei títulos e inclusive "apanhei" pelo clube, dei o sangue, tento brigar pelo clube a todos os momentos para que eu possa ajudar a sairmos dessa situação. Sem dúvidas saio muito triste, até porque sempre gostei muito das pessoas que trabalham no Flamengo. Fiquei muito chateado, inclusive cheguei a chorar, até porque deixo muitos amigos, me identifiquei com muitas pessoas que trabalham no clube e sair dessa forma não é bom para nenhum atleta - declarou André Santos. Em entrevista coletiva no CT rubro-negro nesta terça, o diretor executivo Felipe Ximenes preferiu não comentar sobre a rescisão de André Santos. - Não sei quem anunciou que o André Santos rescindiu o contrato. É uma informação que eu não tenho, não tenho nenhuma posição em relação a isso - disse o dirigente. O diretor de comunicação do Rubro-Negro, Felipe Bruno, foi sucinto: "André Santos possui contrato com o Flamengo e é jogador do clube. Qualquer mudança o clube avisa", escreveu. O ápice da crise entre a torcida e André Santos aconteceu no último domingo. Após a goleada por 4 a 0 sofrida para o Internacional, ele foi agredido por rubro-negros ao sair do Beira-Rio. O jogador deixava o estádio antes dos companheiros, durante a entrevista coletiva de Ney Franco, rumo a uma van, na qual seguiria para o aeroporto. Ele foi interpelado por rubro-negros até que um deles o acertou no rosto com um soco. O ato foi a senha para outras agressões. O camisa 27 chegou a ficar acuado contra a van enquanto recebia golpes e pontapés. Em determinado momento, conseguiu entrar no veículo, mas foi retirado à força pelos agressores. O segurança à paisana que o acompanhava também foi vítima de violência. Apesar do incidente, o lateral disse na tarde de segunda-feira que pretendia seguir no Flamengo. - Em nenhum momento pensei em sair, em nenhum momento pensei em abandonar. Porque isso é coisa de covarde, de homem que tem medo de enfrentar os problemas. Nenhum momento isso passou pela minha cabeça. Eu tenho atitude e vou tirar o clube dessa situação - disse. Esta é a segunda passagem de André Santos pelo Flamengo. O jogador defendeu o clube em 2005 e voltou no ano passado, indicado por Mano Menezes. Em 93 partidas no total, o lateral-esquerdo marcou cinco gols.(globoesporte.com)

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Flamengo vive a sua pior largada na era dos pontos corridos do Brasileirão

Campanha atual, com seis derrotas, quatro empates e uma vitória, nem sequer iguala inícios ruins de 2004 e 2005. Time nunca havia sido lanterna após 11 primeiros jogos. Além do peso da goleada por 4 a 0 para o Internacional, em Porto Alegre (veja vídeo ao lado), o Flamengo traz na bagagem sua pior campanha na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro. São seis derrotas, quatro empates e uma única vitória, desempenho que é ainda mais fraco que os inícios desastrosos do clube em 2004 e 2005, anos em que lutou até o fim contra o rebaixamento. Além disso, o Fla nunca havia terminado os 11 primeiros jogos na lanterna da competição e jamais havia ficado este mesmo período sem marcar gols fora de casa - o time atual tem o segundo pior ataque da Série A, com sete gols, ao lado de Criciúma e Goiás e à frente apenas do Figueirense. Em 2004, na segunda edição do torneio por pontos corridos, o Rubro-Negro também começou com um só triunfo, mas empatou cinco, mesmo número de reveses. Na época, era o 22º colocado de 24 participantes e terminou em 17º lugar, livrando-se do Z-4 só na última rodada, com a goleada por 6 a 2 sobre o Cruzeiro, em Volta Redonda. Já em 2005, a campanha começou com duas vitórias, três empates e seis derrotas, aparecendo na 20ª posição entre 22 equipes. Chegou ao fim do campeonato em 15º lugar e só se livrou da degola na penúltima rodada, ao ficar no 0 a 0 com com o Goiás, outra vez em Volta Redonda, e contar com tropeços dos concorrentes. Em 2007, o início também foi ruim, mas na época o Fla teve vários jogos adiados por conta do fechamento do Maracanã para os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. Por isso, nas 11 primeiras partidas que disputou naquele ano, somou duas vitórias, três empates e seis derrotas. Mas passou longe do rebaixamento, iniciou uma arrancada no returno e, com a ajuda dos duelos pendentes da tabela, terminou em terceiro lugar e com a vaga na Libertadores. As últimas campanhas ruins foram em 2010 e 2013, quando o Rubro-Negro teve uma largada bem melhor do que a atual. Há quatro anos, o Fla venceu quatro, empatou outras quatro e perdeu três. Mas no fim do campeonato foi o 14º e só escapou da briga contra o rebaixamento na penúltima rodada, porque na última dois concorrentes diretos, Vitória e Atlético-GO, se enfrentavam. Já no ano passado foram três triunfos, quatro igualdades e quatro reveses nos 11 primeiros jogos. No fim, ocupou a 16ª colocação - foi o primeiro fora do Z-4 após perder quatro pontos por conta da escalação irregular de André Santos na última rodada.(globoesporte.com)