A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS

A MARCA MAIS VALIOSA DO PAÍS
encontro das embaixadas na gávea!

sexta-feira, 25 de abril de 2014

De volta para casa: Fla vai enfrentar Palmeiras e São Paulo no Maracanã

Clube decide não sair do Rio enquanto estádio estiver disponível. Partidas contra Bahia e Figueirense devem acontecer em Cuiabá e Uberlândia, respectivamente. Boa notícia para o torcedor do Flamengo que mora no Rio de Janeiro: a diretoria decidiu manter para o Maracanã as partidas contra Palmeiras e São Paulo pelo Brasileirão. Depois do tropeço na estreia, diante do Goiás, em Brasília, o Rubro-Negro optou por não mais abrir mão de seu palco tradicional enquanto o estádio estiver disponível para uso. Com isso, somente os confrontos com Bahia e Figueirense, em datas em que o local já estará entregue à Fifa, acontecerão em outras praças. Cuiabá e Uberlândia surgem como favoritos. Em um primeiro momento, apenas o jogo com o Verdão estava previamente marcado para o Rio de Janeiro, enquanto havia uma negociação em andamento para que o duelo com o São Paulo, pela quinta rodada, fosse na Arena das Dunas, em Natal. Em 2013, mandar jogos fora do Rio de Janeiro foi uma rotina para o Flamengo no primeiro turno do Brasileirão, e o resultado foi trágico: apenas 29% dos pontos, com 72% depois do retorno ao Maracanã. A partida contra o Bahia, pela sexta rodada, está marcada para o dia 21 de maio. A data se encaixa no período em que o estádio ainda estará à disposição dos clubes - a Fifa passa a tomar conta no dia seguinte. Entretanto, com a marcação de Fluminense e São Paulo para o mesmo dia e local, uma das duas partidas teria que ser remarcada. O Governo do Mato Grosso, por sua vez, já revelou que o duelo entre cariocas e baianos acontecerá na Arena Pantanal e servirá como evento-teste para a Copa do Mundo. O Fla, por sua vez, ainda não se pronunciou sobre o tema e não está completamente descartada a possibilidade do Maracanã. Já as negociações para que a partida com o Figueirense, dia 29, pela oitava rodada, seja no Parque do Sabiá, em Uberlândia, estão adiantadas. A decisão do Rubro-Negro se deu por questões de logística, uma vez que o Cruzeiro já anunciou que mandará o jogo pela nona rodada, última antes da paralisação para o Mundial, na cidade do Triângulo Mineiro. Adaptando suas ações para a mesma cidade, o Flamengo evitaria deslocamento e ganharia dias livre para treinos entre os compromissos. Antes de voltar ao Maracanã, o Flamengo encara o Corinthians neste domingo, às 16h (de Brasília), no Pacaembu, pela segunda rodada do Brasileirão. A última partida do Rubro-Negro no Rio de Janeiro foi a final do Carioca, contra o Vasco, quando se sagrou campeão, dia 13 de abril.(globoesporte.com)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Cadê o gol? Setor ofensivo do Fla sofre para criar chances em treino

Após dificuldade para superar defesa do Goiás, Jayme comanda trabalho de ataque contra defesa. Wallace brinca e resume atividade: ‘Dois gols em 210 chances’. A dificuldade do Flamengo em transformar o domínio territorial em chances de gol na partida contra o Goiás preocupou Jayme de Almeida. Nesta quarta-feira, o treinador comandou uma atividade técnica específica para que o setor ofensivo superasse possíveis retrancas que terá pela frente, e, a julgar pelo resultado, deve ter ficado com o sinal de alerta ainda mais ligado. Em trabalho de ataque contra defesa em campo reduzido, os rubro-negros marcaram pouquíssimos gols e em muitas oportunidades foram facilmente desarmados pelos defensores. A divisão feita pelo treinador foi simples: de um lado, zagueiros e primeiros volantes. Do outro, volantes que saem mais para o jogo, meias, laterais e atacantes. Basicamente, um quinteto ofensivo trocava passes até a entrada da área, onde encarava um quarteto com a missão de parar as jogadas. Mesmo em minoria, os defensores levaram a melhor em grande parte dos lances e aproveitaram para tirar sarro dos companheiros em alguns momentos. Satisfeito com a proteção a seu gol, Felipe disse já ter ganhado "muitos almoços" dos atacantes e fez uma proposta: - Agora, se entrar na área conta como gol. Vamos fazer assim - gritou, sorrindo. Do outro lado, Jayme de Almeida retrucava diante de opções erradas dos comandados. Em determinado momento, o alvo foi Lucas Mugni, que demorou muito a decidir o que fazer com a bola e acabou desarmado: - Lucas, o João (Paulo) ficou duas horas livre do lado esperando a bola! - orientou o treinador. A medida em que levava vantagem nas disputas, os defensores aumentavam o tom da provocação. Cada desarme era comemorado como um gol. Cáceres, que volta ao time domingo, diante do Corinthians, após sofrer lesão no ombro, foi o mais eficiente neste quesito e recebeu elogios de Wallace. - Boa! É isso aí. Esse é o sangue paraguaio - vibrou o camisa 3 também em tom de provocação aos atacantes. Ao término da atividade, porém, foi do zagueiro o comentário, ainda em campo, que resumiu o "placar" da disputa: - Poxa, vocês fizeram só dois gols em 210 tentativas. Responsável por atender a imprensa em entrevista coletiva, Samir admitiu que o trabalho de seu muito pela dificuldade encontrada pela equipe no 0 a 0 com o Goiás na primeira rodada do Brasileirão. Na ocasião, o Flamengo teve mais de 60% de posse de bola e levou pouco perigo ao gol de Renan, principalmente no segundo tempo. - Foi para poder organizar o ataque. Este é um trabalho fundamental para o time poder entrar na defesa adversária. Tivemos essa dificuldade contra o Goiás, e o trabalho foi em cima disso. No final, fazemos essas brincadeiras para descontrair mesmo. O Flamengo volta a jogar pelo Brasileirão diante do Corinthians, no domingo, às 16h (de Brasília), no Pacaembu, pela segunda rodada.(globoesporte.com)