8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ

8 FEIJOADA FLAJARAGUÁ
FEIJOADA FLAJARAGUÁ, DIA 05 DE AGOSTO DE 2017

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Nunes, ex-Flamengo, diz que nunca haverá uma equipe como a de 81

O atleta, que é um dos ídolos consagrados pelo Mengão, participou de um evento beneficente no Tocantins e diz que o estado pode revelar grandes jogadores. Mais um atleta consagrado no futebol brasileiro passou a conhecer o Tocantins em 2013. Depois de Dadá Maravilha, Reinaldo, Ronaldinho Gaúcho e Viola, agora foi a vez de Nunes, ídolo do Flamengo. No fim de semana, o ex-atacante participou de eventos solidários em escolinhas de futebol nas cidades de Araguaína e Luzinópolis. Nesta segunda-feira (16), vestindo a camisa do Mengão, Nunes falou sobre a carreira e contou alguns planos para o futuro como comentarista esportivo. ‘Vai ser difícil o Flamengo conseguir formar um grupo como de 81’, disse Nunes sobre o time que conquistou a Libertadores da América e o Mundial Interclubes. Ele afirma que o elenco daquela época era completo. - O time contava com o Zico, Dario (Dadá Maravilha) e outros nomes que se consagraram no futebol do país. A equipe era boa em vários aspectos, tática, profissionalismo e dava um show em campo - disse com orgulho. Mesmo tendo passado por outros grandes clubes como Fluminense e Atlético-MG, o ex-jogador conta que seu coração sempre foi flamenguista. - Eu fui para a base do Flamengo quando eu tinha 13 anos e fui crescendo, mas não foi lá que eu virei profissional por causa dos dirigentes da época que não me enxergaram como grande jogador. Mas quando saí eu já tinha a certeza que voltaria - contou. Em entrevista à rádio CBN Tocantins, o ex-jogador aproveitou para comentar a atual Seleção Brasileira. Ele afirma que os ajustes feitos por Felipão deixaram a equipe melhor, porém ainda não está pronta para a Copa do Mundo de 2014. - Na minha opinião ainda cabe mais gente aí nesse time e uma coisa muito boa que o Felipão conseguiu fazer foi aproximar a torcida, fazer a torcida se sentir parte do time - disse. Nunes conta que tem participado de vários eventos sociais desde que parou de jogar, mas sempre está de olho no que acontece no futebol. - O Tocantins precisa de mais eventos como este, tenho visto que jogadores aqui da região tem se destacado e eu tenho certeza que só não tem mais tocantinenses nos grandes clubes porque é uma região longe dos grandes centros. Por isso esses eventos são importantes para mostrar os talentos daqui para o mundo - finalizou.(globoesporte.com)

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

N O T A O F I C I A L

Tendo em vista as notícias publicadas pela imprensa a respeito da escalação do nosso atleta André Santos no jogo contra o Cruzeiro, o Clube de Regatas do Flamengo manifesta sua absoluta tranquilidade em relação ao caso, respaldando sua posição nos diversos artigos que regem a lei esportiva e nas resoluções da Confederação Brasileira de Futebol. Caso o Flamengo venha a ser instado a apresentar sua defesa, assim o fará, de forma embasada, clara e totalmente transparente. Na realidade, a única preocupação que temos quanto a esta notícia é o fato de vermos a tentativa de se usar ações na Justiça para se sobrepor aos resultados esportivos conseguidos nos gramados. O campeonato brasileiro de 2013 foi composto por 760 jogos. Cada time esteve em campo 38 vezes, disputando partidas de muita emoção. A classificação final de cada agremiação foi conseguida por seus méritos e problemas. Mudar esta realidade será um desserviço ao futebol e uma afronta ao torcedor brasileiro. FONTE> SITE OFICIAL DO CLUBE

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Jayme visita loja e ouve pedido por reforços e para fazer Cadu jogar bola

Técnico, que agora tem vínculo com o Rubro-Negro até dezembro de 2015, posa para fotos e dá autógrafos. Questionado sobre Seedorf, ele nega qualquer negociação. Jayme de Almeida e a torcida do Flamengo estão vivendo uma fase de lua de mel. Campeão da Copa do Brasil, o treinador renovou seu contrato com o clube até o fim de 2015. O acerto foi confirmado na manhã desta quinta-feira. Na parte da tarde, o treinador foi assediado ao visitar uma loja oficial do clube, situada num shopping da Barra da Tijuca. Lá, posou para fotos e deu autógrafos a torcedores rubro-negros. E falou da renovação. Depois de um início difícil, o Flamengo foi campeão, com uma festa fantástica, e eu estou muito orgulhoso pela diretoria confiar no meu trabalho. Estamos renovando o contrato, é ano de Libertadores e a cobrança é grande. Vamos trabalhar para dar mais uma alegria para a torcida - disse o treinador. Para dar alegria é preciso também ouvir os mais variados pedidos. Tranquilo e solícito, Jayme, ao mesmo tempo que autografava, precisava dar algumas explicações. Recebeu pedidos de contratações. Os nomes estavam na ponta da língua. Primeiro, surgiu o de Everton, do Atlético-PR, depois o do seu companheiro de clube, o atacante Marcelo. Para fechar, Cícero, do Santos. Com um sorriso no rosto, o técnico não deixou dar uma justificativa. - O Marcelo tem o preço alto. Além das sugestões da torcida, um nome foi especulado nesta quarta-feira: Seedorf, do Botafogo. O técnico, porém, desconhece qualquer negociação ou interesse do clube. - Sinceramente, escutei na mídia, mas a mim não chegou nada - explicou. Em seguida, foi questionado se é um atleta que interessa. Respondeu: - Falar do Seedorf é falar de jogador de qualidade, e qualquer equipe fala de jogador de qualidade. Que eu saiba não tem nada do Seedorf, mas é um bom jogador. A posição do holandês, aliás, é uma que traz certa dor de cabeça à torcida. Titular da meia, Carlos Eduardo já foi vaiado, aplaudido e está sempre em pauta nas conversas rubro-negras. Um torcedor, ao receber seu autógrafo, pediu: - Por favor, faz o Carlos Eduardo jogar bola. O técnico sorriu e continuou atendendo os pedidos de fotos e assinaturas.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

FLAJARAGUÁ FAZ ENTREGA DE LEITE INTEGRAL!!!

No domingo dia 01 de dezembro, a Flajaraguá realizou seu almoço de encerramento das atividades para o ano de 2013, com a presença de mais de 50 pessoas, foi recolhido através dos sócios a quantidade de 52 litros de leite integral, ao qual(foto), o Presidente Sr. Sérgio Dalpiaz fez a entrega nesta terça-feira a ENTIDADE SOL Grupo Solidariedade do município de Jaraguá do Sul, entregando ao Sr. Hugo Vinicius, Presidente da ONG.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Uma vez Flamengo, três vezes Flamengo... "TriCampeãoCopadoBrasil"

De patinho feio à “bonitinho”, de desacreditado à campeão. Os pé-rápados que não conseguiram entender que o Mano queria, ontem jogaram em pleno Maracanã, aliás em pleno Mar Vermelho e com a força da Nação foram campeões. O que era dúvida ou impossível, pode estar bem ali, a vontade prevalece, e se realmente for o caso do Elias, que seja, que fique e que ano que vem dispute a Libertadores com a gente. A contrário de algumas finais e alguns campeões, esse time teve um jogador principal, e o jogador principal veste a camisa 12, quero dizer, pelo menos é o que dizem né, enfim, ele tava lá, jogou os 180 minutos da final, e ontem foi um dos principais jogadores em campo. É claro, vocês já sabem que é este jogador, seria uma injustiça não cita-lo neste título. Tô falando dos torcedores rubro-negros, da Nação, que apoiou até aqueles que não entraram em campo, que jogou na defesa e no ataque a o mesmo tempo, incrível, jogador incansável, que mesmo com o ingresso custando o “olho da cara” não deixou de comparecer. Sem tirar os méritos do Luiz Antônio que jogou bem, se fosse pra escolher o melhor jogador, certamente escolheria a torcida, mas já que não fabricaram 40 milhões de premiações, tranquilo. Titulo com a cara do Flamengo, na raça, no sofrimento... podeira ser mais fácil né? Sei lá, só sei que se deixar o Flamengo chegar, ferrou. Flamengo teve lá seus méritos e a torcida fez sua parte, casamento perfeito. Um ano antes da Copa do Mundo, será que foi um super teste pro tão novo Maracanã? Será que a torcida rubro-negra não teria a mesma sensação no antigo Maraca? Não, quem foi a o velho saberia de quais quer forma que a torcida rubro-negra se sentiria a vontade e se fosse pra testar, e se fosse pra ter um campeão após a reforma, que seja o Flamengo! E foi, fazendo jus à essa torcida que lotou a apoiou os noventa minutos. Sem esquecer do lindo e gigantesco mosaico. #ConteComigoMengão.
Carlos Eduardo (Cadu) - Além desse incrível mosaico, a torcida também fez uma coisa que poucos ou muitos esperavam; apoiaram e gritaram o nome do Carlos Eduardo durante sua substituição, isso foi uma das coisas mais marcantes dessa final, apesar dele não ter jogado bem. Paulinho (Vai, Paulinho!) - Jogou muito, participou de quase todas jogadas de ataque do Flamengo, voltou pra marcar e deu assistência pro primeiro gol, foi um dos melhores em campo. Elias (Davi, Davi,Davi!) - sumiu no primeiro tempo, não jogou muito como na semi-final, mas fez um dos gols do titulo, é claro, não podemos só levar em conta esse jogo, não é pra qualquer um o que o Elias fez neste ano, certamente o melhor jogador desta temporada. Samir (Bola pro mato que é jogo de campeonato) - Um garotinho que na época foi dispensado pelo Fluminense, que alguns dias atrás tava no departamento médico do Flamengo, e que ontem jogou como um experiente, jogou como um verdadeiro campeão. Hernane (Brocador) - Esse era o verdadeiro patinho feio; que quando prometeu trinta gols na temporada foi tachado de risada e que no começo do ano foi reserva do Marcelo Moreno, enfim, o patinho feio ficou bonitinho e tem 34 gols na temporada e além disso foi artilheiro da Copa do Brasil com 8 gols, foi e é um verdadeiro Brocador. Jayme de Almeida (Jayminho) - Mais conhecido como Jayminho. Foi um dos principais responsáveis pela bela campanha do Flamengo neste campeonato, um dos caras que não era conhecido até alguns meses atrás e que hoje coloca o time num patamar histórico, parabéns Jayme, você merece, não posso elogia-lo muito, até porque ele tenta evitar, a humildade prevalece e que ano que vem seja assim com a Libertadores. A união prevalece e neste titulo não foi diferente... uma vez Flamengo, três vezes Flamengo! Tri-Campeão!!!(bolg sentimentos RN)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

FLAMENGO divulga balancete e redução de R$ 80 milhões no seu PASSIVO!!!

Clube apresenta aumento na receita operacional líquida por conta de bilheteria e adesões ao programa de sócio-torcedor, que rendeu R$ 4.325,488 até setembro. O Flamengo divulgou, na noite de segunda-feira, o novo balancete trimestral, com as demonstrações financeiras preliminares até setembro de 2013. A nova diretoria adotou a prática de divulgar abertamente os dados que, anteriormente, somente circulavam internamente na Gávea, com a divulgação apenas do balanço anual, o que é obrigatório por lei. De acordo com os números apresentados pela diretoria rubro-negra, o déficit do exercício foi reduzido de R$ 21 milhões para R$ 9 milhões, comparando os meses de setembro de 2012 e 2013. O passivo operacional caiu R$ 80 milhões, passando de R$ 730 milhões para R$ 650 milhões. O site oficial explica que a "redução é oriunda principalmente pelo pagamento de impostos e fornecedores, decrescido do endividamento bancário que cresceu em R$ 7 milhões".
Com o aumento de receitas de bilheteria de jogos e do Programa Sócio Torcedor, a receita operacional líquida subiu 23,5% (de R$ 131,4 milhões em setembro de 2012 para R$ 162,3 milhões este ano). O total de impostos a recolher caiu de R$ 397,8 milhões para R$ 378 milhões, com drástica redução nas contas de curto prazo - de R$ 90,7 milhões para R$ 39,1 milhões - e aumento nas contribuições sociais a recolher a longo prazo, de R$ 307,1 milhões para R$ 338,9 milhões. FUTEBOM E SÓCO-TORCEDOR!!! A receita bruta do futebol subiu de R$ 119,2 milhões em setembro de 2012 para R$ 156,3 milhões neste ano. O programa sócio-torcedor rendeu ao clube até setembro R$ 4.325,488. Esse valor deve aparecer bem mais alto no próximo balancete já que, em outubro, o clube contabilizou milhares de novas adesões. Em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM em setembro, o diretor financeiro do clube, Paulo Dutra, disse que a previsão era de que o programa tivesse retorno entre R$ 9 milhões e R$ 11 milhões líquidos este ano. Outro dado que chama atenção é a redução nas provisões para contingências (valores que são previstos no boletim financeiro em decorrência de processos judiciais em andamento) para ações trabalhistas, que caíram de R$ 40,1 milhões em dezembro de 2012 para R$ 13,8 milhões em setembro deste ano. Houve decréscimo também de cerca de R$ 6 milhões nas provisões para contingências cíveis e, na área tributária, o valor se manteve inalterado. As explicações destacam que as contingências na área cível se referem basicamente a reclamações de atrasos no pagamento de contratos e o valor total é de R$ 81,9 milhões. Em texto divulgado no site oficial, o clube destaca os ajustes financeiros, mas deixa claro que a situação ainda é bem delicada: "Conforme se pode observar, a situação financeira do Flamengo esta mais confortável do que a apresentada no final do exercício de 2012, mas ainda longe de uma estabilidade que permita ao Clube honrar com todos os seus compromissos com tranquilidade".(globoesporte.com)

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Vantagem não ilude Jayme, que blinda time e avisa: 'Não tem oba-oba'

Técnico mantém humildade após 1 a 1 e deixa claro que empolgação não fará Fla se abrir no Maracanã: 'Temos que ter cautela contra um time qualificado no contra-ataque. A empolgação é natural. Com o 1 a 1 na Vila Capanema, o Flamengo entra na grande decisão da Copa do Brasil, diante do Atlético-PR, quarta-feira, no Maracanã, como campeão. Apoiado por cerca de 70 mil torcedores, o 0 a 0 basta para o tricampeonato, tanto que os 1.700 adeptos do time carioca deixaram o Durival Britto profetizando: "Vamos ser campeão (sic), vamos Flamengo". A empolgação, no entanto, não encontrará eco no elenco. Pelo menos, é o que garante Jayme de Almeida. Ainda no gramado do estádio onde minutos antes Marcelo e Amaral deram números finais ao primeiro jogo da decisão, o treinador fez questão de conter o otimismo em concorrida entrevista coletiva. Ciente do histórico que aponta para três empates nos primeiros jogos das três decisões que o Fla perdeu na Copa do Brasil - dois deles fora de casa -, Jayme prometeu pés no chão e se mostrou tranquilo ao dizer que este tipo de postura sem sido a tona de sua equipe na competição. Nosso time foi muito maduro durante todo o torneio e não vai ser diferente. Eles sabem, já conversamos e repito: não ganhamos nada. Não tem oba-oba. Vamos trabalhar com muita cautela e respeito aos outros. A vantagem da torcida é muito grande, mas a torcida não vai entrar em campo e definir o jogo. Quem vai definir, somos nós em campo. Jayme de Almeida garantiu também que a equipe não deixará se levar pela empolgação da torcida na próxima quarta-feira. Ciente de que o torcedor vai para o Maracanã disposto a ver um time ofensivo, o comandante rubro-negro alertou para as características do Atlético-PR e deu a entender que, apesar de não entrar para defender o 0 a 0, o Fla vai ser um time precavido. - Nosso grupo está bem consciente e sabe que não pode ser afoito. Temos que ter cautela contra um time muito qualificado no contra-ataque. Eles mostraram isso e em duas ou três bobeadas que demos foram muito rápidos. Que sirva de lição para nos empolgarmos. A torcida vai ajudar, mas temos que ter cuidado e responsabilidade para manter a atenção nos 90 minutos e não perder o título em contra-ataques. Com o empate no Durival Britto, em Curitiba, o Flamengo joga por um empate sem gols para ser tricampeão da Copa do Brasil. Em caso de novo 1 a 1, a decisão será nos pênaltis. Igualdade a partir de 2 a 2 dá o título ao Atlético-PR, que também será campeão com qualquer vitória. O RESULTADO - Como falei após o Goiás, foi o primeiro jogo, sabíamos que ia ser muito difícil, como foi, mas o time se portou como um grande candidato a esse título. Jogou de igual para igual aqui no Paraná e estamos felizes por ver o time corresponder as expectativas. Jogamos com amor, com dedicação, todo mundo fez o que se propôs a fazer e fez bem. Não ganhamos nada ainda. O Atlético é qualificado, muito perigoso nos contra-ataques, respeitamos isso, mas o empate nos dá muita força para o jogo do Rio. VANTAGEM - Fazer um gol no campo do adversário ajuda muito, mas não vejo grande vantagem. Vai ser um jogo difícil, contra um adversário que respeitamos e vai dar trabalho. Vamos para o Maracanã com a nossa torcida, que esteve aqui (em Curitiba) e foi fantástica. Ficou no canto, mas gritou, puxou, e eles vão nos ajudar com certeza. Possibilidade de 0 x 0 para ser campeão - Nosso grupo está bem consciente e sabe que não pode ser afoito. Temos que ter cautela contra um time muito qualificado no contra-ataque. Eles mostraram isso e em duas ou três bobeadas que demos foram muito rápidos. Que sirva de lição para nos empolgarmos. A torcida vai ajudar, mas temos que ter cuidado e responsabilidade para manter a atenção durante os 90 minutos e não perder o título em contra-ataques. Problemas de Chicão e André Santos - Não tenho (uma posição do departamento médico). O André foi uma torção de tornozelo e o Chicão sentiu o músculo. Não conversamos ainda, é muito cedo, mas temos uma semana para tentar melhorar esses dois atletas. O que achei legal foi que botamos no decorrer do Brasileiro esses meninos que entraram e deram conta do recado. O ritmo não caiu, e eles estão de parabéns. Escalação contra o Corinthians - Acho que o Flamengo precisa de pontos no Brasileiro, não está afastada a possibilidade de rebaixamento. Muito pelo contrário, está bem apertada, e vamos colocar todo mundo que estiver bem para jogar. É um jogo importante, no Maracanã, contra o Corinthians e vamos tentar definir a nossa vida. Ansiedade para o jogo de volta - Não tem ansiedade, não. Nosso time foi muito maduro durante todo o torneio e não vai ser diferente. Eles sabem, já conversamos, e repito: não ganhamos nada. Não tem oba-oba. Vamos trabalhar com muita cautela e respeito aos outros. A vantagem da torcida é muito grande, mas a torcida não vai entrar em campo e definir o jogo. Quem vai definir, somos nós, em campo. Tranquilidade após sair atrás no placar - O time tem uma forma de jogar, que começamos a tentar implantar a partir do jogo contra o Botafogo na Copa do Brasil. Ali, a coisa começou. Tivemos maturidade e humildade. Respeitamos todos e chegamos na final. Gol do Amaral - O Amaral é um jogador de marcação, mas tem um chute muito forte. Ele não tem calibrado bem, erra muito às vezes. Teve um jogo no Maracanã que ele chutou e passou rente ao travessão. Acertou um belo chute e está de parabéns. Nada é por acaso. Temos que trabalhar, sermos perseverantes, e ele está sendo. Volta por cima de Amaral - O que o Amaral nos dá nos 90 minutos é uma marcação fortíssima, velocidade para cobrir os zagueiros, e isso facilitou o trabalho tanto da zaga quanto do meio-campo, que fica mais tranquilo para apoiar. É um rapaz que trabalhou muito dentro do clube, é um exemplo para todos e ficou quatro meses sem nem entrar na lista de concentração, mas nunca deixou a peteca cair. Tem uma finalização forte, erra muito, mas tem treinado isso. Acertou um chute fantástico e nos deu o empate. Importância do título para carreira - Já falei que a responsabilidade de ser técnico do Flamengo é algo muito bacana na minha vida. Ir para final, com ele cheio, isso cresce muito. Mas estou tranquilo, feliz por poder estar lá quarta-feira que vem, e fazer o melhor. Ser for para sermos campeões, vamos ser. Volta por cima do elenco - Falou-se muito desse elenco, falou-se muito mal, mas esses meninos estão provando que não é bem assim. Independentemente de ganharmos ou não o título, o que eles fizeram na Copa do Brasil foi fantástico. Faltou um pouco de respeito, ninguém está à toa no Flamengo, e eles nos mostraram isso. Está sendo difícil, mas dou os parabéns por eles superarem tudo isso. Felipe - Primeiro, tenho que dar os parabéns ao departamento médico do Flamengo e preparadores físicos. Ele trabalhou, no treino em Porto Alegre conversamos, e todos disseram que o Felipe estava bem, pronto e confiante. O Paulo é um menino que jogou quando preciso, foi fantástico, mas expliquei a ele que o Felipe saiu por lesão. Entrou e foi bem. Comportamento até a próxima quarta - Vamos manter a tranquilidade de todos os jogos. Temos que esquecer a Copa do Brasil e pensar no jogo dificílimo contra o Corinthians. Temos que botar o foco no Brasileiro, não tem jeito, e enfrentar o Corinthians, que respeitamos. Não vamos poupar ninguém, só quem estiver machucado. Consagração como técnico - O técnico do Flamengo é conhecido nacionalmente, a visibilidade é maior, mas, para mim, não muda nada. Sigo sendo o mesmo Jayme, tranquilo, e respeito quem vem falar comigo. Faz parte do cargo e temos que respeitar o torcedor, que é fantástico e aprendi a gostar desde garoto. Sobre o futuro, não sei. Falam, falam, falam, mas meu compromisso é até dia 8 (de dezembro). Estamos procurando fazer tudo da melhor maneira possível. Estou lutando para entregar o Flamengo em uma situação muito boa. Promessa de Wallim por permanência - O que estão falando, ninguém me falou. Não posso ficar especulando. O que acertei foi até dia 8. Trabalho em cima disso e dou o meu melhor para ficar de cabeça erguida. Depois, vamos conversar. Sou funcionário do clube. (globoesporte.com)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Rubro-negros embarcam para Curitiba e iniciam maratona pelo Fla

Grupo que viaja em excursão da agência de viagens do Fla encontrará Djalminha, campeão em 90. Aeroportos registram intensa movimentação de torcedores. Com muita ansiedade e o sonho do tricampeonato na bagagem, um grupo de torcedores do Flamengo embarcou logo cedo na manhã desta quarta-feira para Curitiba, onde o Rubro-Negro começa a decidir o título da Copa do Brasil contra o Atlético-PR, na Vila Capanema. Será uma verdadeira maratona, já que eles pegam o voo de volta logo depois da partida. Os cerca de 200 torcedores deixaram o Rio de Janeiro sob um clima de grande otimismo. A excursão é organizada pela agência de viagens oficial do clube, a "Fla Tour" e os sócios-torcedores têm vantagem na hora da compra. O pacote mais completo inclui as passagens de ida e volta, hospedagem, almoço e, claro, ingresso para a partida. Como forma de aquecimento para o primeiro jogo da decisão, os torcedores participarão ainda de uma confraternização na parte da tarde que terá como convidado especial o craque Djalminha, campeão da Copa do Brasil de 1990 pelo Fla. Além da presença dos torcedores que viajaram pela agência oficial do clube, os aeroportos do Rio de Janeiro registraram, na manhã desta quarta-feira, intensa movimentação de rubro-negros rumo a Curitiba. Na chegada à capital paranaense, a festa não foi menor. Apesar de o primeiro jogo ser fora, a cidade do Rio de Janeiro amanheceu colorida de vermelho e preto. Nas ruas, torcedores circulam com suas camisas, e nem os carros escaparam. A bola rola para Flamengo e Atlético-PR às 21h50m (de Brasília), na Vila Capanema.(globoesporte.com)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

DECISÃO DA COPA DO BRASILl: 41 MIL INGRESSOS VENDIDOS PARA TORCIDA DO FLA

Após polêmica com aumento do valor dos bilhetes, clube carioca afirma que 23 mil entradas foram compradas com desconto pelos sócios a R$ 75. A nove dias da partida que irá decidir o campeão da Copa do Brasil, entre Flamengo e Atlético-PR, dia 27, às 21h50m, no Maracanã, cerca de 41 mil ingressos já foram comprados pelos rubro-negros. De acordo com o clube carioca, o valor médio dos bilhetes adquiridos até esta segunda-feira é de R$ 110 - o preço que deu o que falar na semana passada varia de R$ 250 a R$ 800. Levando em conta também as entradas destinadas aos torcedores do Furacão, a carga total é de 72.601. O clube afirma ainda que 23 mil ingressos foram vendidos a R$ 75 (sócios com direito à meia-entrada). Cerca de cinco mil bilhetes, de um total de sete mil, teriam sido comercializados para os torcedores do Sul. Há ainda 4.900 entradas destinadas às gratuidades (idosos acima de 65 anos, crianças menores de 12 anos e deficientes físicos). A venda ainda é restrita para sócios-torcedores, que terão prioridade de compra até o próximo dia 23, quando as bilheterias serão abertas ao público em geral, caso haja sobra. Na nota publicada no site oficial, o Flamengo comemora o recorde de sócios que estarão presentes no estádio. Na última sexta-feira, o Flamengo conseguiu derrubar no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro liminar que obrigava a redução do preço dos ingressos. O clube também venceu batalha contra o Procon, que teve pedido para limitar o reajuste em 30% do valor praticado na semifinal indeferido.(globoesporte.com)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Fla prevê 70 mil na final da Copa do Brasil!!!

Com o plano de maximizar os lucros da decisão da Copa do Brasil no Maracanã, o Flamengo deve se reunir nos próximos dias com a concessionária que administra o estádio e o Gepe para ampliar o quanto for possível a capacidade de público. Mas para isso será necessário convencer o Grupamento Especial de Policiamento em Estádios com um projeto de segurança para a torcida do Atlético-PR, que tem direito a cerca de sete mil ingressos no setor Sul. A carga a ser vendida para o jogo está estipulada em cerca de 60 mil entradas, com a previsão de mais de 70 mil pessoas presentes contando gratuidades. As parciais de venda serão divulgadas apenas no fim da semana. A renda deve ficar em mais de R$ 8 milhões, com ingressos entre R$ 250 e R$ 800. Segundo o comandante do Gepe, tenente-coronel João Fiorentini, uma solução precisa ser encontrada no prazo de até sete dias antes do jogo para que a operação seja feita com sucesso. — Continua a mesma coisa até que o Flamengo apresente uma proposta. Se apresentar, vou analisar. Se for viável, com laudos, assinaturas, podemos dar a aprovação. Mas tem que ser estudado com as partes. Precisaremos de sete a dez dias para atualizar. Até agora está dando certo. Apesar de ter gente do Flamengo duvidando do trabalho — explicou o comandante, mandando recado para os dirigentes que questionaram o cordão de segurança na semifinal com o Goiás. Na ocasião a carga de ingressos para venda foi de 50.030. E uma lona isolou os torcedores visitantes, com a perda de sete mil lugares. A ideia do Flamengo é aguardar o jogo de ida dia 20 para quem sabe reverter parte dos ingressos de permuta para os seus torcedores. — Vamos ter uma discussão com o consórcio e o Gepe. Para ver como vai ficar a questão dos lugares para a torcida do Atlético-PR. No jogo com o Goiás foram bloqueados 10 mil ingressos e vieram 400 torcedores. Estamos tentando encontrar os caminhos —disse o diretor de marketing, Fred Luz. Para a data da primeira partida, a diretoria também está programando usar o Maracanã para exibir o duelo, com direito a telão e show de música.(jornal extra) Leia mais: http://extra.globo.com/esporte/flamengo/fla-preve-70-mil-na-final-da-copa-do-brasil-gepe-cogita-ampliar-capacidade-do-maracana-10762291.html#ixzz2kWlFUjcK

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O Flamengo precisa ser devolvido a seus “donos”

Prometi que não falaria mais sobre isso. Mas eu me perdôo e vou voltar, a causa é nobre, e não me alongarei demais. O assunto é o valor dos ingressos para a decisão da Copa do Brasil, dia 27 de novembro, no Maracanã, entre Flamengo e Atlético-PR. O ingresso mais barato para quem não é sócio-torcedor custará R$ 250, mais caro do que o mais barato da final da Copa das Confederações, da qual participaram Casillas, Piqué, Xabi, Iniesta, Daniel Alves, Tiago Silva, Oscar, Fred e Neymar. No do dia 27 teremos Amaral, Luiz Antônio, Carlos Eduardo e mais alguns não tão famosos do time visitante. Quem for sócio-torcedor, nas costas de quem a diretoria do Flamengo joga todas as justificativas para o escândalo do preço do ingresso, pagará R$ 125. Perdoem-me os diletos comandantes do clube, mas mesmo para sócios-torcedores o valor de R$ 125 é inaceitável em se tratando do menor preço. Para quem acompanha o futebol desde que nasceu e, pela paixão por esse esporte, pode dizer que conhece um pouco da cultura dos principais times do Brasil, o que soa inteiramente fora de sintonia, mais do que a ganância, é a total ausência de sintonia entre como a diretoria do Flamengo se vê e vê o clube e o que o Rubro-Negro realmente é, histórica e culturalmente, enquanto maior fenômeno popular do esporte do nosso país. Já disse aqui várias vezes. O Flamengo poderia reservar camarotes e setores mais nobres do estádio e vender esses bilhetes a R$ 1 mil se quisesse. Provavelmente seriam vendidos, se não todos, mas grande parte. Quem é rico também ama o Flamengo e não abandonaria o clube numa hora dessas. Com isso seria possível destinar 10% dos ingressos a quem construiu a grandeza do clube, o torcedor mais humilde, que poderia pagar algo entre R$ 40 até R$ 80. A arrecadação não mudaria significativamente. O que os responsáveis pela elaboração de preços fazem é buscar a mesma arrecadação selecionando classes sociais. Isso seria digno de crítica em qualquer caso, mas de maneira mais gritante em clubes de massa como Flamengo e Corinthians. É querer ser o que não é. É virar as costas para uma parcela que, no mínimo em quantidade, é totalmente relevante na história do clube. É pagar com arrogância e ganância a quem, de fato, levou o limitado time do Flamengo à final, notadamente nos jogos contra Cruzeiro, Botafogo e Goiás, times que num campeonato de regularidade, que premia a competência, estão bem à frente do Rubro-Negro. Contra esses rivais, quando precisou da torcida, barateou os ingressos. Agora, que já sente o cheiro da taça, tira os pobres da sala de jantar. Para concluir: tenho total respeito, como jornalista e como pessoa física, à diretoria do Flamengo. Reconheço e aplaudo, nas duas condições também, as várias coisas boas que têm feito. Tipo: o esforço para sanear as finanças, a seriedade e trabsparência da administração, a humildade em corrigir os rumos como na equivocada opção por Jorginho e na efetivação deste incrível Jayme de Almeida, na aposta em Hernane, Wallace, Elias e Paulinho – apesar dos equívocos fenomenais como Carlos Eduardo. Não é preciso, portanto, grande esforço para que essa direção tenha o pleno reconhecimento de todos, e até entrar para história do clube por uma gestão que fez bem ao Flamengo. Basta que ela desça do pedestal em que subiu, que abaixe um pouquinho o olhar - e o nariz – para ver com mais clareza quem são os verdadeiros donos do Flamengo.(Ricardo Gonzalez)

ASSIM QUE ME SINTO...

Grande texto do Gabryel Grativol Oi, podemos conversar ? Não vou brigar nem terminar com você, só não consigo compreender o motivo e ter feito isso comigo. Sempre estive ao seu lado, te apoiando nas conquistas e te amando nos fracassos, no maior momento da sua vida eu estava lá, do outro lado do mundo, para te aplaudir de pé. Eu sem você não sou nada, você sem mim, menos ainda. Sua casa é na Zona sul, a minha ? Na FAVELA. Mas isso nunca foi problema, por toda a sua existência você me foi receptivo, sempre me tratou bem e em troca disso sempre lhe abracei. Vencemos juntos e lhe ajudei a chegar no topo, se tornando um dos maiores do MUNDO, dividimos capas de jornais às segundas e quintas-feiras. Eu fazendo espetáculo para você e você retribuindo o apoio para mim, no fim de tudo somos um só, a atração que nos une nem Isaac Newton entenderia, é um magnetismo surreal. Você começou o ano desacreditado, não produziu nada no primeiro semestre, eis que aparece a oportunidade de conquistar algo, porém, modesta à parte, sem a minha ajuda JAMAIS chegaria. Estava do seu lado desde o começo e no dia 28/08 mostrei meu tamanho e te fiz NA RAÇA desbancar o melhor do país no momento. Seguimos juntos, jogo a jogo e EU te fiz chegar onde chegou. Agora, depois de todo o esforço feito, depois de toda a angústia e medo de rejeição, na hora da consagração, você me vira as costas. Me tirou do seu lado para colocar ''quem pode pagar'', o pessoal do Tablet e iPhone lá estará e espero que cantem por mim, que ficarei de fora. Tenho muitos nomes, alguns me chamam de NAÇÃO, outros de FAVELA, há quem diga POVO e quem me define de MULAMBO. O que eu sou ? Um pouco de tudo, seu maior patrimônio, minha maior parte vem da favela e tenho ORGULHO disso, sou sua essência, respiro simplicidade e por pura ingratidão da sua parte, te assistirei vencer de casa torcendo para que em uma outra oportunidade você me permita estar presente, FLAMENGO. SRN

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Papa-líderes, Fla faz valer tradição e salva temporada com Copa do Brasil

Coadjuvante no Estadual e no Brasileiro, Rubro-Negro chega à sexta decisão da competição em sua história ao bater melhores equipes do país. Uma sintonia comprovada por números e que pode colocar na história um ano que parecia fadado a irrelevância na história do Flamengo. Com uma proposta de recuperação administrativa, a nova diretoria cortou gastos, dispensou estrelas e projetou resultados a longo prazo em busca da saúde financeira do clube. Até que a tradição rubro-negra na Copa do Brasil falou mais alto. Uma tradição marcada por recordes, e que vem sendo comprovada em uma campanha avassaladora contra aqueles que têm sido os melhores times do país na temporada. Para chegar à sexta final de sua história, os cariocas despacharam três dos cinco primeiros colocados no Brasileirão e agora encaram o Atlético-PR, vice-líder, para consolidar com um tricampeonato a afeição entre o mata-mata e o time do "deixou chegar". Oscilante nos pontos corridos, o Flamengo ainda não se acostumou com a parte de cima da tabela nesta tipo de competição. Campeão em 2009, tem o terceiro lugar de 2007, quinto de 2008 e quarto de 2011 como melhores colocações em um formato de disputa onde se viu por algumas vezes com risco de rebaixamento. Já no mata-mata da Copa do Brasil, o retrospecto é diferente e animador. Com a vitória sobre o Goiás, o Rubro-Negro chegou a sua quarta decisão nas últimas sete participações - desde 2003, quando houve a mudança nos moldes do Brasileirão. Vice para Cruzeiro (2003) e Santo André (2004), levou a melhor sobre o Vasco (2006) e encara o Furacão para igualar uma conta que tem ainda o título de 90 e o vice de 97, para o Grêmio. Os gaúchos, por sinal, são os únicos que superam o Fla em números de finais: sete, com quatro conquistas. Em outras estatísticas, porém, o Rubro-Negro é imbatível. Ninguém, por exemplo, venceu mais jogos - 87 em 144 - nem fez mais gols: são 279. Outra marca de respeito é a que o clube tem dentro do Maracanã, palco da finalíssima contra o Furação. No estádio, foram apenas duas derrotas pela competição. Uma deles, porém, inesquecível: 2 a 0 para o Santo André na final de 2004 - a outra foi um 4 a 0 para o Santos, em 2000. A campanha em 2013 aponta para um Flamengo que faz jus a este retrospecto copeiro e que cresce em confrontos decisivos, principalmente diante do torcedor. Se em 2006, quando foi campeão após também ter participação pífia no Estadual, nenhum rival até a final vinha da Série A, o retrospecto este ano impressiona. Com seis vitórias em seis jogos, passou sem problemas por Remo, Campinense e ASA de Arapiraca nas fases preliminares, até encontrar uma série de pedreiras com a entrada dos times que participaram da Libertadores. Líder disparado do Brasileirão, o Cruzeiro foi a primeira vítima com derrota por 2 a 1 no Mineirão e 1 a 0 suado, com gol de Elias nos minutos finais, no Maracanã. Esta partida, por sinal, marcou pela união da torcida com equipe e foi determinante para que a diretoria abandonasse a ideia de mandar jogos em Brasília. Em seguida, o Fla teve pela frente o Botafogo, rival local e que, na ocasião do confronto, ocupava a segunda posição no Campeonato Brasileiro. Mais uma vez azarão, segurou o 1 a 1 no jogo de ida e atropelou na volta: 4 a 0, com três gols de Hernane. Com os dois times aclamados como melhores da temporada pelo caminho, o Goiás surgia como rival menos complicado. A equipe do Planalto Central, entretanto, engrenou na disputa por pontos corridos e, mesmo sem o craque Walter, chegou para o confronto decisivo vivíssimo por um lugar no G-4, em quinta, com um ponto a menos que o Botafogo. A boa fase em uma competição, por sua vez, não valeu na outra, e a trajetória do Esmeraldino na Copa do Brasil acabou com duas derrotas por 2 a 1. Agora, o Flamengo tem pela frente o Atlético-PR, mais um time que ocupa temporariamente a segunda colocação no Brasileirão. Assim, do quinteto da ponta da tabela, apenas o Grêmio não cruzou o caminho rubro-negro - por ter sido eliminado justamente pelo Furacão. Um dos principais responsáveis pela campanha demolidora de líderes, Elias admitiu que a postura do Flamengo em jogos decisivos tem sido mais agressiva. - O mata-mata é diferente, um torneio de tiro curto. Nossa equipe se adaptou bem, conseguiu fazer grandes jogos. Acho que é diferente. Podemos dizer que o time entra mais ligado, mais vibrante nos jogos. Isso tem sido fundamental. Esperávamos ter essa vibração no Brasileiro também, mas quando conseguimos já era tarde. Paulo Victor fez coro com o camisa 8. Para o goleiro, a união entre time e Maracanã tem sido determinante para que o Fla seja tão mais forte na Copa do Brasil. Nesses jogos de mata-mata temos tido a felicidade de decidir em casa, com a nossa torcida. Mata-mata é uma competição diferente, valoriza o gol fora, diferente do Brasileiro que é jogo a jogo. A nossa torcida nos contagia. Você entra no Maracanã e vê aquela festa linda. Quando sofremos o gol (contra o Goiás), a torcida incentivou ainda mais. Sentimos tudo isso lá no campo, dá confiança. Com certeza, isso é uma vantagem que o Flamengo é uma das poucas equipes que têm. E mais uma vez o Flamengo decide uma eliminatória no Maracanã. Desta vez, decide o título. Dia 20, o time carioca vai até Curitiba enfrentar o Atlético-PR na Vila Capanema, com a finalíssima marcada para o Rio de Janeiro uma semana depois. Caso leve a melhor, o clube com mais vitórias e mais gols marcados se aproximará também de ser o que tem mais títulos da Copa do Brasil, mas não alcançará os líderes Grêmio e Cruzeiro, que têm quatro.(globoesporte.com)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Esgotados os ingressos da torcida do Fla para o jogo com o Goiás

Rubro-Negros compram todos os 50.500 bilhetes que foram colocados à disposição deles. No fim da noite desta segunda-feira, a torcida do Flamengo esgotou os 50.500 ingressos que foram colocados à disposição dela para a partida de quarta-feira, contra o Goiás, pela semifinal da Copa do Brasil. Há outros 3.500 destinados aos torcedores do Esmeraldino. A carga total para o jogo desta quarta é de 64.811 ingressos - 54 mil à venda e o restante separado para gratuidades -, inferior à utilizada na partida de volta entre Flamengo e Botafogo, pela Copa do Brasil (70.561). A redução se deu pela seguinte questão: no Setor Sul cabem 22 mil pessoas. Metade dele ficará com a torcida do Flamengo. No lado do Goiás, onde caberiam outros 11 mil, serão colocadas por questões de segurança lonas de isolamento que inutilizam seis mil lugares. A área restante é de cinco mil cadeiras, mas só foram postos à venda 3550 ingressos para os torcedores esmeraldinos. Cerca de 400 dos 3500 ingressos da torcida esmeraldina foram vendidos até o fim da noite desta segunda-feira. O Flamengo tenta com o Grupamento Especial de Policiamento nos Estádios (Gepe) a liberação de parte da carga destinada ao Goiás. A agência Fla Tour oferece pacotes que incluem traslado e o ingresso do jogo - o mais barato não inclui o bilhete. Os preços variam de R$ 70 a R$ 370.(globoesporte.com)

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Confiante, FLAMENGO marca reunião para discutir permanência de Elias

Conversas com jogador estão adiantadas, e encontro com Eliseu Trindade e Carlos Leite, sexta, traçará estratégia antes de negociação com Sporting. Confiante, o Flamengo dará na próxima sexta-feira mais um passo para contar com Elias além do dia 31 de dezembro - quando acaba seu empréstimo. Com o aval do Sporting para iniciar as negociações, o Rubro-Negro tem as conversas bem adiantadas com o jogador e traçará em encontro a estratégia para convencer os portugueses a liberá-lo. Eliseu Trindade, pai do camisa 8, e o empresário Carlos Leite estarão presentes na reunião com os dirigentes cariocas. Emprestado de graça até o fim de 2013, Elias tem passe fixado em € 8 milhões (cerca de R$ 24 milhões). O Flamengo tentará a redução deste valor para adquirir o jogador em definitivo. Caso a negociação não dê certo, o acordo já prevê pagamento de € 500 mil (R$ 1,5 milhão) pelo período em que o volante defendeu o clube. Nesta semana, a imprensa portuguesa noticiou um possível interesse do Sporting em Luiz Antonio, o que poderia facilitar a transação. Após entrar na Fifa contra o Sporting, Elias chegou a um acordo com os portugueses por conta de uma dívida e retirou a ação. O clima pacífico entre as partes era o desejo do Flamengo, que já tinha decidido não iniciar a negociação pela manutenção de seu principal jogador na temporada a revelia. O clube de Lisboa é dono de 50% dos direitos econômicos do camisa 8, e a outra metade pertence a um grupo de investidores capitaneado pelo empresário português Jorge Mendes. Elias tem vínculo com o Sporting até 2016. Contratado pelos portugueses em 2011 por € 8,8 milhões (R$ 26,8 milhões), foi a maior negociação da história do clube de Lisboa. O jogador recebia em Portugal € 1,3 milhão (R$ 3,9 milhões na cotação atual) por ano – R$ 325 mil mensais. Indiscutivelmente o melhor jogador rubro-negro na temporada, Elias caiu de rendimento recentemente e fez diante de Portuguesa e Goiás suas piores aparições pelo Fla. A situação, entretanto, tem explicação: internado, o filho do jogador, de pouco menos de dois anos, se recuperava de um problema de saúde. Com a alta do menino prevista para esta quinta-feira, a expectativa é de que o volante recupere seu melhor futebol na reta final da temporada.(globoesporte.com)

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Fora contra o Goiás, Felipe passará por cirurgia e pode voltar só em 2014

Jogador, que sofreu torção no joelho esquerdo na sexta-feira e voltou a sentir dores contra a Portuguesa, manda mensagem aos rubro-negros. Felipe realizou exames em seu joelho esquerdo nesta terça-feira e o diagnóstico é preocupante para a torcida do Flamengo. O goleiro está cortado do primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, contra o Goiás, no Serra Dourada. O médico José Luiz Runco informou que o atleta passará por uma cirurgia e ainda não há prazo para o retorno aos gramados, mas é pouco provável que ele volte a jogar na atual temporada. - O Felipe na partida de domingo teve um mecanismo no joelho, que inchou e foi examinado na segunda-feira. Fizemos um exame de imagem, e a lesão é no menisco interno. Ele não joga contra o Goiás e ficará um tempo fora. Será submetido a um procedimento cirúrgico. Faremos o mais rápido possível para que retorne logo - disse o médico do Flamengo. Felipe torceu o joelho esquerdo durante o treino da última sexta-feira, no Ninho, e chegou a deixar o campo chorando, carregado por uma maca móvel. No entanto, o goleiro se recuperou no sábado e, no dia seguinte, foi titular contra a Portuguesa, em Fortaleza. Mas em uma bola recuada por Amaral durante a partida, o camisa 1 precisou dar um carrinho e voltou a sentir dores no local. Foi atendido, porém seguiu em campo. Antes da reapresentação dos jogadores nesta terça-feira, e diante do quadro, foi decidido pela realização de exames complementares. Através de sua página oficial no Facebook, Felipe falou sobre a lesão e não escondeu a tristeza por ficar fora em um momento importante. - Infelizmente, estou fora da partida contra o Goiás, pela Copa do Brasil, e muito triste com isso tudo. Vou passar por uma cirurgia nesta quarta-feira e espero voltar ao gol do Flamengo o mais rapidamente possível. Estava vivendo um bom momento, mas são coisas do futebol. Estamos propensos a passar por esse tipo de situação. Vai dar tudo certo, se Deus quiser, e vou ficar na torcida pelos meus companheiros enquanto estiver me recuperando. Diante da situação, dificilmente Felipe terá condição de jogo ainda na atual temporada. De acordo com Runco, o tempo de recuperação médio de uma artroscopia gira em torno de um mês. O último jogo do ano está marcado para o dia 8 de dezembro, pela última rodada do Brasileirão. - Normalmente, o prazo para recuperação de uma artroscopia é de quatro semanas. Então, teoricamente pode voltar na temporada. Vamos operar e fazer o melhor. O primordial é recuperar o jogador. Felipe esteve na Gávea nesta terça-feira e chegou a acompanhar parte do treinamento no gramado, mas logo seguiu para casa visivelmente abatido. José Luiz Runco falou sobre a reação do goleiro ao receber a notícia da cirurgia. - Recebeu mal. Muito mal. Ele estava extremamente interessado em jogar, ainda mais com a sequência de jogos pela frente. Mas o Felipe tem consciência de que não está capacitado. Ficamos satisfeitos pela vontade demonstrada e entendemos o fato de ter ficado triste. Sem Felipe, Paulo Victor será o goleiro titular do Flamengo na reta final da temporada. Em 2013, o camisa 48 participou de nove partidas, com quatro vitórias, três empates e duas derrotas. César será o reserva. O Flamengo disputa a primeira partida da semifinal da Copa do Brasil contra o Goiás, nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no Serra Dourada.(globoesporte.com)

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Torcedores do Fla madrugam, pedem e colorem igreja de São Judas Tadeu

Nesta segunda é festejado o dia do santo das causas impossíveis e padroeiro do clube. E o 28 de outubro também é o Dia do Flamenguista. Todo ano, no dia 28 de outubro, a cena se repete: vestidos a caráter, torcedores do Flamengo comparecem em peso e com a fé em dia para pedir e agradecer na Igreja de São Judas, no Cosme Velho, zona sul do Rio. Nesta segunda-feira não foi diferente. E, além dos festejos para o santo das causas impossíveis e padroeiro do Rubro-Negro, nesta segunda também é comemorado o Dia do Flamenguista. Desde as primeiras horas da manhã, camisas do Rubro-Negro tomam conta da igreja. A primeira missa do dia, realizada às 6h, já teve grande presença de rubro-negros. Marcio de Moraes acordou cedo para pedir pelo seu clube de coração. O torcedor admitiu que virou devoto do santo por conta da ligação com o Flamengo. Márcio, porém, brinca e diz que São Judas deve estar cansado de tantos pedidos feitos nos últimos anos. - Trabalho viajando, não posso estar presente todo ano. Dessa vez, consegui e vim logo cedo. O santo deve estar cansado, pois os flamenguistas estão mais pedindo do que agradecendo nos últimos anos (risos). Sou devoto mais pela ligação com o meu clube mesmo – afirmou Marcio, que saiu da igreja já de fitinha no pulso e com a imagem na mão. Neste domingo, o Flamengo empatou por 0 a 0 com a Portuguesa, e terminou a rodada na 11ª colocação, com 41 pontos, a oito da zona de rebaixamento. Na quarta-feira, o time faz o jogo de ida pela semifinal da Copa do Brasil, diante do Goiás. Já até agradeci por estarmos livre do rebaixamento, sinceramente não acho que iremos cair. Isso vai ficar entre Vasco e Fluminense. Vim mesmo é pedir pela Copa do Brasil – brincou o torcedor Tobias Ribeiro. Durante a primeira missa rezada pelo pároco da Igreja de São Judas Tadeu Jorges Diegues foi possível ver torcedores espalhados pelo salão em meio às centenas de fieis. Um deles distribuía santinhos com a imagem do santo das causas impossíveis. Até o momento, o Flamengo ainda não fez menção ao dia de hoje. O clube costuma pedir que seja rezada uma missa. Existe uma capela do santo na Gávea. Os jogadores só retornam ao Rio na noite desta segunda-feira, e não poderão estar presentes à igreja, como é tradição. DESFALQUE DO PÁROCO O time dos que pedem pelo Flamengo sofreu um desfalque. Rubro-negro de carteirinha e responsável por diversas rezas para o time em momentos difíceis, o padre José Benedito Reis morreu no dia 2 de julho do ano passado, vítima de câncer. O pároco, que ficou conhecido por rezar missas com a camisa rubro-negra por baixo da batina, ficou durante muitos anos da Igreja de São Judas Tadeu, depois foi transferido para a Igreja de Santo Cristo, mas sempre era convocado para benzer a Gávea. Em setembro de 2010, o padre foi ao clube em meio a um momento ruim e benzeu Deivid. Ele também apareceu em outros momentos adversos, como nas campanhas dos Brasileiros de 2003 e 2007. TRANSITO INTENSO NA RUA DAS LARANJEIRAS Por conta da comemoração do dia de São Judas Tadeu, já é intenso o movimento na Rua das Laranjeiras, por conta do grande fluxo de pessoas rumo à igreja. As missas serão realizadas durante todo o dia, de hora em hora.(glovoesporte.com)

sábado, 26 de outubro de 2013

Léo Moura supera Hernane e é o mais assediado na chegada a Fortaleza

Cerca de 70 pessoas comparecem a aeroporto na véspera de jogo contra Lusa e, apesar de boa fase do artilheiro, dão mais atenção ao lateral. O Flamengo está nos braços da galera, como é hábito no Nordeste. O mandante da partida de domingo, no Castelão, é a Portuguesa, mas parece não existir dúvida de que quem se sentirá em casa no duelo pela 31ª rodada do Brasileirão serão os rubro-negros. No fim da tarde deste sábado, a delegação carioca desembarcou em Fortaleza e foi recebida por cerca de 70 entusiasmados torcedores no aeroporto. Jogador mais antigo do elenco, Léo Moura foi o mais assediado, como de costume. Antes mesmo de o avião pousar na capital do Ceará, um grupo perto da barreira que dá acesso ao portão de desembarque já combinava: - Esquece os outros, vamos segurar o Léo Moura. Precisamos tirar uma foto. Dito e feito. Um corredor foi formado para que os jogadores não fugissem, mas a abordagem a todo instante foi de forma respeitosa. O primeiro a aparecer foi o treinador Jayme, prontamente identificado. Ao ter seu nome gritado, ele até brincou e sorriu colocando a língua para fora. Felipe e André Santos puxaram a fila dos jogadores. Nome da moda no clube, Hernane até chegou a gerar um pequeno frisson, mas logo atrás dele vinha justamente Léo Moura, que passou a ser o alvo. Enquanto o lateral atendia aos fãs, o Brocador ainda deu atenção a outros torcedores em busca de autógrafos e fotos, mas caminhava sem maiores problemas. Assim aconteceu no percurso de quase todos os jogadores até o ônibus, menos Léo Moura, que seguia cercado. Até que dois seguranças do clube ajudaram-no a se desvencilhar do grupo e seguir para o hotel. Nenhum atleta parou para falar com a imprensa, mas pouco antes da decolagem, no Rio de Janeiro, Felipe se manifestou em uma rede social. - Boa tarde, nação! Estou muito feliz por estar liberado para jogar amanhã. Não foi nada grave, estou bem. E vamos com tudo em busca dessa vitória. Contamos com o apoio de vocês no Castelão! - disse. Após sofrer uma torção no joelho em treinamento na sexta-feira, o goleiro participou normalmente da atividade deste sábado e tem escalação garantida diante da Lusa. Apesar da proximidade da semifinal da Copa do Brasil, contra o Goiás, quarta-feira, em Goiânia, Jayme de Almeida relacionou força máxima para o confronto. A única baixa é Carlos Eduardo, suspenso. Confira os atletas que estão em Fortaleza: Adryan, Amaral, André Santos, Bruninho, Chicão, Diego Silva, Elias, Felipe, Frauches, Gonzalez, Hernane, João Paulo, Léo Moura, Luiz Antonio, Nixon, Paulinho, Paulo Victor, Rafinha, Val e Wallace.(globoesporte.com)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Flamenguistas mostram empolgação para jogo do clube em Fortaleza

Torcedores rubro-negros não escondem a euforia em ver de perto o clube do coração. Só 13.000 ingressos já foram vendidos até esta sexta-feira. - Se pela televisão, só falto chorar vendo o Flamengo, imagina ao vivo, de pertinho. Essa é a expectativa de Jonas Silva, que trabalha como entregador em Fortaleza. Ele já comprou um dos 13.000 ingressos que já foram comercializados para o jogo do próximo domingo (27), entre Portuguesa e Flamengo, às 16 horas (horário de Brasília) e 15 horas (horário de Fortaleza) na Arena Castelão, pela 31ª rodada do Brasileirão. Ao todo, 58 mil entradas foram colocadas à venda. Jonas conta ainda que adquiriu o bilhete com a permissão do patrão, que liberou a bicicleta para que ele pudesse ir até o Castelão comprar a entrada. Não só isso. O patrão ainda foi o responsável por emprestar R$ 25, preço do ingresso de meia entrada para arquibancada superior. - Meu sonho é ver o Hernane de perto. Conseguir uma camisa dele seria incrível - complementou Jonas. Maranhense de nascimento e vivendo há seis meses em Fortaleza ele revela que já conheceu o Castelão após a última reforma, torcendo pelo Sampaio Corrêa-MA contra o Fortaleza no dia 13 de outubro. A empolgação de Jonas também pode ser vista no representante comercial André Luis Santos. Diferentemente do primeiro, ele vai levar os filhos para ver de perto o clube do coração. Já vi jogos do Flamengo em outros estados e agora chegou a vez de levar os filhos para acompanhar também essa paixão pelo Flamengo. É uma transmissão do amor pelo clube para uma outra geração. Quero ver o Léo Moura, que é o Flamengo na essência, e o Hernane que tem visão de gol e tem sido decisivo. Flamengo é isso. É emoção - contou André, que comprou ingressos para os dois filhos. A venda dos ingressos começou na última terça-feira (22) e segue até o dia da partida. Até esta sexta-feira não foram identificadas grandes filas ou reclamações por parte de torcedores. A expectativa é de Castelão cheio no domingo, com maioria de torcida do Flamengo.(globoesporte.com)

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sem limites: Hernane bate meta pessoal e pode unificar artilharias

Goleador do Carioca assume condição também na Copa do Brasil, em lista absoluta do país e supera promessa de 30 gols no ano. Falta subir no ranking do Brasileirão. Quem supera Hernane? A pergunta pode até parecer simples, mas está difícil para achar uma resposta em 2013. Do início de ano desacreditado como substituto de Vágner Love até a consagração máxima na vitória por 4 a 0 sobre o Botafogo (assista aos melhores momentos no vídeo), quarta-feira, no Maracanã, pela Copa do Brasil, o caminho foi longo e repleto de provações. Entretanto, o Brocador, que antes era questionado até pela torcida do Flamengo, caminha para ser o melhor atacante do Brasil na temporada. E de forma indiscutível. Para isso, basta aproveitar a chance real de unificar todas as artilharias possíveis. Com os três gols no clássico que colocou o Rubro-Negro na semifinal, o camisa 9 alcançou três marcas de uma só vez: superou a meta pessoal de 30 na temporada e assumiu a liderança na tabela de goleadores tanto da Copa do Brasil quanto do Prêmio Artilheiro do Ano, antigo Friedenreich. Se mantiver o ritmo, bastará a Hernane tirar a desvantagem de dois gols para Ederson, do Atlético-PR, que está no topo da lista do Brasileirão (15 a 13), para se consagrar como o homem-gol de tudo que disputou em 2013. No Carioca, ninguém balançou as redes mais do que ele: 12 vezes. O 'hat-trick' diante do Botafogo fez com que o Brocador chegasse aos seis gols na Copa do Brasil, deixando para trás Rafael Marques, do Botafogo, Rodrigo Silva, do ABC, e Walter, do Goiás - todos com cinco. Do trio, apenas o último segue na competição e pode ter pela frente justamente o Flamengo. Para isso, precisa eliminar o Vasco em confronto nesta quinta, no Maracanã. O primeiro jogo foi 2 a 1 para o time do Serrado. Na disputa para ser o artilheiro do ano, a concorrência é maior. Nesta lista, Hernane divide a liderança com Magno Alves, do Ceará, com 31 gols. Mas Bruno Rangel, da Chapecoense, com 30, o pontepretano William, 29, e o próprio Walter, 28, estão na cola e a briga promete ser acirrada nos últimos 45 dias da temporada brasileira. Já em uma "competição" sem data para terminar, o camisa 9 do Fla amplia a cada jogo sua distância para os concorrentes: a de homem-gol do novo Maracanã. Desde a reinauguração, em junho, ninguém fez a festa no estádio mais vezes do que ele: 14 em 12 jogos. Mais do que o dobro do segundo colocado, o botafoguense Rafael Marques, com seis. O somatório de gols 12 gols no Estadual, 13 no Brasileirão e seis na Copa do Brasil já garante a Hernane também a honra de ser o jogador do Flamengo com mais gols em uma só temporada no Século XXI. Com a atuação diante do Bota, Edilson e seus 28 de 2001 ficaram para trás. Voltando no tempo, Hernane supera ainda Pet, goleador em 2000, e perde para os quase inatingíveis 48 de Romário em 1999. Feitos de sobra para quem começou 2013 questionado por ter marcado apenas três gols nos seis primeiros meses de Gávea e estava longe de ser um tiro certeiro para substituir o principal jogador da equipe. Em meio a desconfiança alheia, uma pessoa sempre acreditou no potencial de Hernane: o próprio jogador. E para Jayme de Almeida esse é o fator determinante para temporada avassaladora do Brocador. - É difícil fazer 31 gols na temporada. O "problema" é que ele acredita nele, acredita no trabalho, treina, se cuida, ajuda para caramba no meio e está sempre bem fisicamente. Na forma que estamos jogando, as jogadas acontecem em velocidade, e o cara que tem que finalizar é ele. Tem essa facilidade e está sempre ali para colocar a bola pra dentro. O aproveitamento é muito bom. Fico muito feliz pelo que tem feito. Temos que acreditar na gente, e ele acredita. Ainda no gramado do Maracanã, o atacante também falou sobre as dúvidas em torno de seu futebol e não escondeu a satisfação por cumprir uma promessa feita a si mesmo no começo da temporada: - Para quem não acreditava no Hernane, graças a Deus estou dando alegria para essa torcida. Vou trabalhar para ser sempre decisivo. Meu sentimento eu não sei explicar. Sei que minha mãe está muito feliz, porque liguei para ela e ela falou para ter calma, que eu seria decisivo. Passei minha meta, que era de 30 gols no ano. Meta cumprida e com o contador de gols ainda funcionado. Afinal, faltam, no mínimo, mais dez jogos para o Flamengo na temporada e surpreender nunca é demais. Hernane que o diga.(globoesporte.com)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

No embalo da torcida, Paulinho promete Fla agressivo diante do Bota

Para atacante, time tem o perfil de 'ir dentro os 90 minutos' na Copa do Brasil, e questão física será determinante na disputa por vaga na semifinal. Fé na torcida e no retrospecto para avançar às semifinais da Copa do Brasil. Com a parte destinada aos rubro-negros esgotada dois dias antes do confronto com o Botafogo, o Flamengo não tem dúvidas de que contará com incentivo extra das arquibancadas para levar a melhor no duelo de quarta-feira, no Maracanã. E para não decepcionar os rubro-negros, a equipe se agarra à boa campanha na competição para deixar para trás a irregularidade que a tem marcado no Brasileirão. Com sete vitórias, um empate e uma derrota - além de ter eliminado o Cruzeiro, aclamado como o melhor time do Brasil -, o Flamengo da Copa do Brasil em nada lembra o time que ainda busca um equilíbrio no Campeonato Brasileiro - ocupa a 11ª colocação, com 40 pontos. Para Paulinho, a diferença de resultados está evidente na forma de atuar, bem mais agressiva em jogos decisivos. - Na Copa do Brasil, mudamos o jeito de jogar. Vamos dentro os 90 minutos. Não sei explicar, é como se fosse uma Copa do Mundo, o caminho mais rápido para a Libertadores. Temos que entrar como contra o Cruzeiro (pelas oitavas de final), para cima, pressionando, errando o mínimo possível e sem deixar que eles joguem. O atacante rubro-negro falou da resposta positiva do torcedor antes mesmo do confronto, e prometeu muita dedicação para avançar na competição. - A torcida tem feito o seu papel e nos incentiva bastante. Sei que vão comparecer. Nos aplaudiram no primeiro jogo, mesmo com o empate, e sabem que jogamos com a cara do Flamengo: muita garra, vontade e sem desistir. Poupado na derrota para o Atlético-MG, domingo, Paulinho acredita que a parte física será determinante no clássico. Com a série de jogos na reta final da temporada, o desgaste dos jogadores é evidente, e tanto Flamengo quanto Botafogo atuaram com times mistos no fim de semana. - As duas equipes estão bastante cansadas. É muito jogo, um em cima do outro, com jogador desgastado... Quem estiver menos cansado, vai levar vantagem. No fim de semana, descansei bastante, fui à praia, fiquei de pernas para o ar. Estou bem, recuperado, e pronto para ficar esgotado novamente na quarta-feira. É um clássico decisivo, e precisamos estar preparados. Com o empate por 1 a 1 na partida de ida, uma nova igualdade leva a decisão da vaga para os pênaltis. Paulinho garante estar preparado para tal, mas confessa: não fica muito à vontade com este tipo de disputa. - Se for para os pênaltis, vou ficar muito nervoso. Mas vou bater. Tomara que não aconteça, e possamos vencer o jogo. Flamengo e Botafogo se enfrentam às 21h50m (de Brasília), no Maracanã, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Quem levar a melhor na partida encara o vencedor de Vasco e Goiás na disputa por um lugar na decisão da competição.(globoesporte.com)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Torcida do Flamengo faz filas por ingresso. Baixa procura no Botafogo

Engenhão e Maracanã lotam de rubro-negros em busca de um lugar no clássico desta quarta-feira, que vale vaga na semifinal da Copa do Brasil. Fora de campo, o Flamengo começou em vantagem a decisão da vaga na semifinal da Copa do Brasil, quarta-feira, no Maracanã, contra o Botafogo. A torcida do clube fez grandes filas nas bilheterias do próprio Maracanã e no Engenhão. São mais de 70 mil à venda para o confronto e a venda começou na sexta-feira, via internet. Nestes locais, a procura para o setor Sul, destinado ao Botafogo, foi muito baixa nesta segunda-feira. Gávea e General Severiano também estão vendendo ingressos para o jogo. Nas redes sociais, há uma intensa reclamação com relação ao programa de sócio-torcedor do Botafogo. Os torcedores questionam o processo de cadastro e a dificuldade de entrar em contato pelo telefone com a administradora do processo. No jogo de ida, houve empate em 1 a 1 e, neste confronto, o gol como visitante não conta como critério de desempate. No Campeonato Brasileiro, o Botafogo está na quarta colocação, com 50 pontos, 10 à frente do Flamengo, 11º colocado.(globoesporte.com)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Elegante, Fla duela com o Bahia para manter a calmaria no Brasileirão

Na metade da tabela, time estreia camisa três, e Tricolor baiano também precisa vencer para seguir a distância confortável da zona da degola. O Flamengo volta ao Maracanã na noite desta quarta-feira para mostrar que merece ficar na parte nobre da classificação do Brasileirão. E tem o traje adequado para isso. Na partida que marca a estreia de seu novo terceiro uniforme, o Rubro-Negro recebe o Bahia, às 21h50m (de Brasília), pela 28ª rodada. Os cariocas entram em campo para manter a folga para zona de rebaixamento, enquanto os baianos tentam surpreender e levar essa tranquilidade para Salvador. Com 37 pontos, o Fla está exatamente no meio da tabela. A décima posição, por sua vez, não significa alívio na luta contra o rebaixamento. Se o G-4 chegou a ser um sonho, a distância para o Atlético-PR, quarto colocado, é de 11 pontos. Já o Z-4 esta ali pertinho, e o Criciúma, primeiro entre os que iriam para Série B no panorama atual, tem só cinco pontos a menos. Faltando apenas duas rodadas - uma semana - para voltar suas forças para a Copa do Brasil, na qual enfrenta o Botafogo pelas quartas de final, o Rubro-Negro encara o confronto com o Bahia como primordial também para poder se dedicar à única chance de título na temporada. A estreia da camisa número três guarda ainda um desafio contra as estatísticas para o Flamengo. Desde que passou a usar este tipo de uniforme, em 1995, o Rubro-Negro o vestiu em 21 partidas, vencendo apenas duas, com sete empates e 12 derrotas. O modelo atual, divulgado na terça-feira, é predominantemente preto, com detalhes em vermelho que remetem a paisagens do Rio de Janeiro. A seis pontos da zona de classificação para a Libertadores e quatro à frente da zona de rebaixamento, o Bahia mantém ativo o discurso de luta por uma vaga na competição continental. Baseando-se no equilíbrio do Brasileirão, o Tricolor vai ao Rio de Janeiro em busca de estabilidade para não desistir do alto sonho sul-americano. O maior receio, no entanto, não é o adversário em si, mas a torcida: o Maracanã lotado é considerado o maior reforço da equipe carioca. A Rede Globo transmite a partida ao vivo para Porto Alegre, RJ, ES, Região Nordeste (menos PE e MA) e Região Norte (menos TO). O PremiereFC 2 exibe para todo o país através do sistema pay-per-view.(globoesporte.com)

domingo, 13 de outubro de 2013

Em boa fase, Léo Moura elogia Jayme: 'Fala a língua do jogador'

Melhor do Fla contra o Inter, capitão diz que história no clube conta a favor do novo treinador e fala sobre programação especial que tem seguido. Que Jayme de Almeida mudou a cara do Flamengo ninguém tem dúvida. O mistério é a maneira como um ex-interino transformou uma equipe que sofreu até mesmo na mão do consagrado Mano Menezes, vindo da Seleção Brasileira. E a resposta para esta questão é simples na opinião de Léo Moura. Simples como o treinador, elogiado pelo capitão pela maneira como lida com o elenco e usa a "linguagem da bola". Ex-jogador e filho de ex-jogador do Rubro-Negro, Jayme cresceu na Gávea, conhece o clube como poucos e faz parte da comissão técnica permanente desde 2010, quando foi convidado por Vanderlei Luxemburgo. Na opinião do capitão do Flamengo, esses detalhes fazem a diferença no dia a dia e na maneira como o treinador orienta a equipe. É um cara que viveu quase toda sua história como jogador no Flamengo e quem vem de fora tem assimilado bem isso. O Jayme é um cara que fala a língua do jogador e conhece todo mundo. Por isso, as coisas têm dado certo. Os números mudaram, as vitórias vieram. A equipe pega mais confiança, começa a jogar melhor, e o Jayme está tendo sequência. Está impondo o estilo dele. Com Jayme, Léo Moura tem se destacado e foi o melhor em campo na vitória sobre o Internacional, quinta-feira, no Maracanã. O desempenho é fruto de um trabalho específico, que tem tirado o lateral das atividades pesadas com bola e focado na academia e no descanso. É algo que tem me ajudado muito. Tenho me preparado mais na musculação, a parte da força e o descanso. É bom até falar da preparação física em geral que tem feito um trabalho muito importante. Já estava com saudade disso, de jogar bem, fazer gols, que não é muito minha praia. Mas o trabalho tem surtido efeito. Tomara que essa fase permaneça até o fim do ano. Aos 34 anos, o capitão do Flamengo completa diante do Botafogo 452 jogos pelo clube. Ficará a 16 de Zinho, décimo jogador a vestir a camisa rubro-negra mais vezes na história. Em algumas ocasiões, Léo Moura já revelou o desejo de encerrar a carreira na Gávea em dois anos. Com contrato até 31 de dezembro, ele ainda não foi procurado para uma renovação, mas se mostra tranquilo. Ainda não falamos sobre isso. Soube do interesse através de uma entrevista do Wallim (Vasconcellos, vice de futebol) e fico feliz. A vontade é de permanecer. Vai depender muito dessa reta final de campeonato. Com 37 pontos, o Flamengo é o sétimo colocado no Brasileirão e pode terminar a rodada até na quinta colocação. Para isso, precisa vencer e torcer contra Vitória e Atlético-MG diante de Coritiba e Cruzeiro, respectivamente.(globoesporte.com) http://youtu.be/OO5m-gYhWWI

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Casa do Brocador: de bico ou de letra, Hernane se consagra no Maracanã

Com oito gols em oito jogos, artilheiro do estádio após reinauguração traça meta ousada, se espanta com marca de Zico e sonha com gol de bicicleta. Neymar, Fred, David Villa, Fernando Torres, Xavi, Iniesta, Balotelli, Pirlo e Chicharito. A lista de craques que já pisaram no novo Maracanã é de respeito, mas de brilho efêmero. Com exceção dos brasileiros, marcados pelo título da Copa das Confederações, o restante virou estatística e são apenas novos famosos a passarem por ali. Com o fim da competição, a Fifa deu uma brecha de um ano até a Copa do Mundo e colocou o estádio à disposição de "mortais". E, neste grupo, um nome começa a ligar sua identidade ao principal palco do futebol nacional: Hernane. Se não conta com a grife dos craques internacionais, o atacante do Flamengo tem gols, e é com eles que começa a fazer história no estádio. O período ainda é curto, apenas quatro meses e meio. A marca ainda é modesta: somente oito gols. Mas, seja de bico ou de letra, ninguém marcou mais gols no novo Maracanã que o Brocador. Com média de um por jogo, Hernane pisou no gramado pela primeira vez no clássico com o Botafogo, pelo Brasileirão. Vindo do banco de reservas, até finalizou bem em duas oportunidades, mas foi diante do Fluminense que realizou o sonho de balançar a rede do palco que conheceu ainda na juventude. Quando era mais novo, vim jogar um interclubes aqui (no Rio) pela AABB de São Paulo e tive esse privilégio de conhecer o Maracanã. Da arquibancada, eu olhei esse estádio maravilhoso e não imaginaria que um dia eu estaria aqui sendo o artilheiro do novo Maracanã. Me identifiquei bastante com esse estádio aqui, muito maravilhoso. Espero poder marcar muitos gols aqui. OBINA, ZICO(o maior artilheiro do maracanã com 333 gols) E META OUSADA A visita esporádica não afastou Hernane do Maracanã. Baiano, o atacante, que iniciou a carreira no São Paulo e rodou pelo interior até chegar à Gávea, mantinha pela televisão a relação afetiva com o estádio e o time do coração: o próprio Flamengo. Torcer na arquibancada nunca fez parte da rotina, mas pela telinha o Brocador viu, há sete anos, um conterrâneo transformar em realidade aquilo que era quase uma utopia para ele. Minha maior recordação é um pouco recente. Foi no jogo Vasco e Flamengo, pela Copa do Brasil, que o Obina fez o gol na final. Esse é um resultado que me marcou bastante. Como Obina, Hernane chegou ao Flamengo cercado por desconfianças e até um certo folclore amenizado pelos gols. Só em 2013 já foram 25, perto da sua meta de 30. No Maraca, foram oito em oito jogos. Número que o coloca com certa folga no topo da artilharia do estádio - Fred, do Fluminense, que está lesionado, e Fernando Torres têm quatro -, mas o Brocador quer mais, muito mais até dezembro. No Maracanã, eu pretendo fazer em torno de doze a quinze gols. Terminar o ano com quinze gols no Maraca seria muito importante. Para isso, Hernane terá de oito a onze jogos para disputar ainda em 2013 - depende da classificação na Copa do Brasil. Meta ousada, mas alcançável. Já o mesmo não pode ser dito em relação ao recorde histórico do estádio. Aos 27 anos, o atacante precisaria ser uma máquina de gols para chegar aos 333 de Zico, goleador máximo do Maracanã. Faltam trezentos e vinte e cinco... É um número muito alto, né?! (risos). Mas eu acho que eu pretendo fazer muitos gols ainda com a camisa do Flamengo. APÓS GOL DE LETRA, BROCADOR SONHA 'PEDALAR' Dos oito gols marcados até o momento, um é especial para Hernane: o primeiro dos dois marcados diante do Fluminense. O carinho não é somente por ter sido também o primeiro de sua história no Maracanã, mas, principalmente, pela forma como aconteceu: com um lindo toque de letra. É o momento. Acho que nos gols você nunca espera o que você vai fazer. Você tem que estar pronto para qualquer momento a bola sobrar e você tocar para o gol de qualquer maneira. Na hora do lance, o Léo (Moura) viu o meu posicionamento. Ele sabe que eu... Vou cortar aqui, porque senão alguém vai descobrir a minha grande jogada com o Léo Moura (risos). Ele viu que eu tomei a frente do zagueiro e deu um passe rasteiro. Foi aí que eu consegui dar o toque de letra e fazer um belo gol. Desde então, Hernane já fez gols de diferentes maneiras. Com toque sutil por cima do gol, de cabeça, de pênalti, escorando sem goleiro e até de chutão, meio que de bico, diante do Criciúma. O atacante segue o lema de Dadá Maravilha, em que "não existe gol feio, feio é não fazer gol". Entretanto, se pudesse escolher, o Brocador não esconde que gostaria de deixar sua marca em grande estilo. Acho que um gol de bicicleta vai ficar marcado para a história, né? O de letra é um gol muito difícil, mas geralmente a bola vem mais embaixo, então é mais fácil. Com a bola em cima é muito raro acontecer um lance para você dar uma bicicleta. Se eu conseguir fazer um gol de bicicleta no Maracanã, sem dúvida vai ser esse gol (o mais bonito). Nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), Hernane volta ao Maracanã para encarar o Internacional, pela 27ª rodada do Brasileirão. Um gol de bicicleta será muito bem-vindo, mas com uma meta pessoal a alcançar o Brocador não tem dúvidas: seja como for, o que importa é fazer o gol.(globoesporte.com)

domingo, 6 de outubro de 2013

Em Brasília, torcida do Fla cobra dinheiro do prefeito do Rio para CT

Clube ainda espera os R$ 5 milhões prometidos por Eduardo Paes para retomar a construção do Ninho do Urubu. Torcedores do Flamengo fizeram uma cobrança ao prefeito do Rio, Eduardo Paes, durante o clássico com o Vasco, neste domingo, em Brasília. Uma faixa foi exibida nas cadeiras inferiores do estádio Mané Garrincha. Nela, os rubro-negros perguntavam sobre o dinheiro que a prefeitura ficou de liberar para ajudar nas obras de construção do Ninho do Urubu. Em julho, a diretoria conseguiu o aval de Eduardo Paes para a liberação da verba, que ajudaria na construção das novas instalações do Ninho. As máquinas e os operários voltariam a trabalhar até 30 dias após o recebimento do recurso, mas o dinheiro não caiu na conta até hoje, e o clube não sabe quando isso vai ocorrer. Na semana passada, o Flamengo aprovou um projeto para o Ninho do Urubu, segundo o qual o clube vai tentar captar recursos para a obra do CT através de lei de incentivo. Num primeiro momento, apenas a esfera estadual é contemplada pelo projeto. Com isso, mediante captação, o clube poderá usar até R$ 12,5 milhões para investir em três módulos do CT George Helal (4, 16 e 17). O clube agora busca parcerias com empresas dispostas a apoiarem o projeto, e espera, até o fim de outubro, conseguir grande parte do total da verba que pode ser arrecadada. As empresas interessadas receberão renúncia fiscal do Estado. Nas próximas semanas, a diretoria rubro-negra parte atrás da aprovação, agora em âmbito federal, de um projeto para melhorar os outros oito módulos do Ninho do Urubu.(globoesporte.com)

sábado, 5 de outubro de 2013

Clássico especial: diante do Vasco, Léo Moura completa 450 jogos no FLAMENGO!!!

Capitão rubro-negro se diz emocionado com marca e já projeta chegar aos 500. Faltam 19 partidas para superar Zinho e entrar no grupo dos dez mais. Um clássico ainda mais especial para Léo Moura. Acostumado a celebrar marcas individuais e títulos nos mais de oito anos em que defende o Flamengo, o lateral-direito completará 450 jogos com a camisa rubro-negra diante do Vasco, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Mané Garrincha, pela 26ª rodada do Brasileirão. Número por si só expressivo, e que dá início a uma dupla contagem regressiva: para a partida de número 500 e, antes disso, a 469, que, se alcançada, o fará superar Zinho e entrar no hall dos 10 atletas que mais defenderam o clube. O próximo passo do atual capitão do Flamengo, no entanto, só poderá ser dado em 2014. Mesmo que esteja em campo nos 13 jogos restantes no Brasileirão e nas cinco possíveis na Copa do Brasil – caso a equipe chegue na decisão - ainda faltará um "ponto" para deixar Zinho para trás. Este cenário, por sua vez, possibilitaria que Léo Moura abrisse a próxima temporada entrando definitivamente na lista dos dez mais. Para isso, porém, precisa renovar o contrato, que se encerra no dia 31 de dezembro. Contratado em 2005, Léo Moura estreou pelo Rubro-Negro no dia 12 de junho daquele ano, na derrota diante do Corinthians, por 4 a 2, em Mogi Mirim (SP), pelo Brasileirão. De lá para cá, foram 449 exibições, com 213 vitórias, 112 empates e 114 derrotas. O capitão do Flamengo marcou ainda 44 gols, sendo seis de pênalti, quatro de falta e três de cabeça. Ao chegar na Gávea sem conquistas na carreira, apesar de passagens por todos os outros grandes do Rio, além de Palmeiras e São Paulo, Léo levantou os títulos de campeão brasileiro, da Copa do Brasil e de quatro estaduais. - É um momento muito especial. Confesso que estou muito feliz e emocionado por alcançar esta marca vestindo a camisa do Flamengo. Como Deus faz tudo perfeito, acontecerá logo em um clássico – disse Léo Moura. E será em um clássico que o camisa 2 conhece bem. Dos 449 jogos que tem pelo Fla, 28 foram contra o Cruz-Maltino, com 14 vitórias, seis empates e oito derrotas. Pelo Brasileirão de 2007, foi de Léo Moura o gol rubro-negro no empate por 1 a 1. Assim que ultrapassar a barreira dos 450, o próprio capitão confessa que a expectativa se transformará em contagem regressiva para o jogo 500. É claro! Seria um sonho muito especial para realizar. O ranking dos jogadores que mais atuaram pelo Flamengo é liderado por Júnior, com 876 partidas. Em seguida, vêm os contemporâneos do Maestro Zico (732) e Adílio (617). Na sequência, até a décima posição, estão: Jordan (609), Andrade (570), Cantareli (557), Carlinhos (516), Liminha (513), Jadir (499) e Zinho (468).(globoesporte.com)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Esporte Espetacular conta histórias dos seis títulos brasileiros do FLAMENGO

ASSOCIADO E AMIGOS DA FLAJARAGUÁ(vamos bater o record de audiência na tv aberta), NÃO PERCAM!!! Zico, Nunes, Bebeto, Andrade, Júnior e Angelim relembram conquistas no programa deste domingo Qual flamenguista não se lembra ou já viu em VT o gol histórico de Nunes contra o Atlético-MG na final do Brasileiro de 1980? Ou do gol do mesmo Nunes na decisão 82 sobre o Grêmio, no Estádio Olímpico? E dos 3 a 0 sobre o Santos na decisão de 83, ou do gol épico de Bebeto sobre o Internacional de Taffarel, em 1987? Será que você já se esqueceu da maestria do veterano Júnior, em 1992? Para os mais novos, a cabeçada de Angelim, em 2009, ainda está fresquinha na memória. O Flamengo foi campeão da Copa União em 1987, mas a CBF reconhece o Sport como campeão brasileiro daquele ano. Por isso, o título do clube pernambucano também será abordado na série "Campeões do Brasil" neste domingo. Os flamenguistas poderão voltar no tempo e vibrar como os seis títulos conquistados. O Esporte Espetacular entrevistou ídolos que gravaram o nome na história do clube nessas conquistas, como Zico, Nunes, Bebeto, Andrade, Júnior e Ronaldo Angelim. Recorde, se emocione e vibre novamente com o hexa do Rubro-Negro, no Esporte Espetacular. Não perca! ATENCIOSAMENTE A DIRETORIA

Na base da simplicidade, Jayme quebra tabus e até sina de Mano

Após ex-treinador dizer que elenco não assimilava suas ordens, ex-interino tem bom início, vence duas seguidas e até bate Coxa, fora, após 15 anos. Traçar o estilo de Jayme de Almeida não parece ser algo muito difícil. A postura em entrevistas coletivas deixa evidente: o novo treinador do Flamengo faz da simplicidade sua principal característica. De fala mansa e sinceridade a cada resposta, é do tipo que evita potencializar os próprios méritos pelo bom momento da equipe e que não vê problema em dizer "não sei" como resposta. Foi assim, por sinal, que começou a tentar explicar o motivo de o Rubro-Negro estar tão diferente sob seu comando. A mudança, mais do que nítida em campo, está comprovada em resultados. E é para melhor. O Flamengo que não ganhava dois jogos seguidos no Brasileirão, ganhou. O Flamengo que não vencia há 15 anos o Coritiba fora de casa, venceu. E o Flamengo que Mano Menezes deixou dizendo que não conseguia assimilar suas orientações, assimila tudo que Jayme pede. E ele garante: não pede muito. Não sei (por que mudou). Sinceramente, acho que fiz uma proposta e acredito no futebol. É uma coisa bem simples e é minha ideia. Consegui colocar jogadores que conseguem desenvolver bem. Gosto de times que joguem bom futebol e se proponham a fazer o que peço. Na simplicidade, estamos conseguindo fazer isso. Da escola que deu ao Flamengo sua geração mais vencedora, Jayme é daqueles que gostam do futebol simples e eficiente de antigamente. Nunca escondeu que seu elenco tem limitações, mas procura extrair o que nele enxerga de melhor. As mudanças desde que assumiu a equipe foram poucas: Amaral, que sequer jogou com Mano, virou um volante intocável, e André Santos voltou para o meio-campo, com João Paulo na lateral. Assim, o Flamengo se protegeu defensivamente e passou a segurar mais a bola no meio-campo. No Brasileirão, disputou nove pontos, ganhou sete, e só não teve maior posse de bola contra o Coritiba - até por ter feito 2 a 0 logo no começo do segundo tempo. Contra o Náutico, teve 54%, diante do Criciúma, 55% e com o Coxa, 47%. O mérito da evolução evidente Jayme compartilha com o grupo. Revelando ser simples também no contato com os jogadores, o treinador diz que joga limpo e tenta colocar cada um na posição em que fica mais à vontade. Desta maneira, ele acredita que o Flamengo tem evoluído gradativamente. Não tenho uma fórmula para isso, não. Tenho o meu modo de lidar com eles e jogo sempre muito aberto. Falo o que gosto e como vejo o futebol. Tenho procurado fazer isso: colocar jogadores de qualidade e na função que gostam de jogar. O Flamengo está jogando um futebol de qualidade. As coisas começaram a andar. Contra o Náutico, falaram muito mal por conta do empate, mas eles agora ganham de todo mundo. Depois veio o Botafogo e seguimos crescendo. Isso nos dá um alívio e confiança para os próximos jogos. Então, aliviado e confiante, o Flamengo do simples Jayme retorna ao Rio de Janeiro na manhã de quinta-feira e encara o Vasco, domingo, em Brasília, pela 26ª rodada do Brasileirão. Com 33 pontos, a equipe ocupa a 11ª colocação.(globoesporte.com)

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Conselho Deliberativo aprova acordo do Fla para jogar no Maraca até 2016

Segundo o novo contrato, quanto maior a receita, maior a parcela do clube. Cláusula de estudo de viabilidade para novo estádio na Gávea é incluída. O Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou na noite desta terça-feira a assinatura do contrato entre o clube e a concessionária do Maracanã para jogar no estádio até 2016. Segundo o novo acordo, o Flamengo, que antes recebia metade da receita de todos os jogos e reclamava do alto custo do estádio, agora tem direito a fatias maiores conforme o volume da renda da partida. Quanto maior a receita, maior a parcela que cabe ao clube, evitando assim que o custo de atuar no Maracanã em jogos de grande receita seja alto demais. Os percentuais da renda variam entre 50% (até R$ 500 mil) e 72% (para o caso de bilheteria acima de R$ 2 milhões). Também foi incluída, após proposta do Conselho de Grandes Beneméritos, uma cláusula em que a Odebrecht deverá fazer um estudo de viabilidade para um estádio na Gávea até o fim de 2014 e executar o projeto, se o mesmo for viável. Ou seja, se o clube conseguir as licenças necessárias. O Deliberativo aprovou ainda os projetos para captação de recursos através de leis de incentivo para os esportes olímpicos e o centro de treinamento em Vargem Grande. O acordo prevê que o Flamengo tem liberdade para disputar 10 jogos por ano fora do Rio, desde que não sejam decisivos ou sejam do Campeonato Carioca. Além disso, a despesa operacional para cada uma das partes, proporcional ao percentual da renda, será de R$ 10 por pagante, conforme anunciado no borderô, até um limite de R$ 300 mil. Acima desse valor, a concessionária passa a arcar com todos os custos. Nesta terça-feira, surgiram informações de que a concessionária do Maracanã chegou a tentar uma renegociação de alguns termos, incluindo a planilha da partilha da renda. Queria fatias maiores. O clube bateu o pé, a concessionária não gostou, mas o documento foi ao Deliberativo da forma como foi colocado para apreciação dos conselheiros. A assessoria do Flamengo desmentiu a informação. Entre os dados divulgados no Deliberativo, foi dito que o Flamengo ficará com 50% dos camarotes do Maracanã. A venda deverá poder ser feita jogo a jogo ou anualmente. Ainda foram colocadas pequenas alterações impostas pela comissão jurídica do Deliberativo e pelo Conselho Fiscal. Entre as mudanças, a rescisão contratual a qualquer momento sem multa e um item especificando que o Flamengo tem o direito de acompanhar os custos da operação do estádio. Está especificada também a necessidade de aprovação dos conselhos para pedidos de adiantamento de receita. Circula na Gávea a informação de que o clube deverá pedir em breve R$ 30 milhões (mais R$ 10 milhões de empréstimo de um banco) para cobrir o buraco no orçamento até o fim do ano, mas não há confirmação oficial. BANDEIRA DE MELLO frisa que acordo não é definitivo Questionado sobre a cláusula a respeito do investimento em uma arena da Gávea, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, explicou que o acordo foi somente para continuar analisando o tema: - Era um anseio de muitos dos sócios do Flamengo, de conselheiros, de ter uma arena, um investimento aqui na Gávea. Isso já desde o início das negociações está planejado ser incluído. Mas como não estamos ainda na fase definitiva de acerto com a concessionária, isso é uma fase dois, uma fase intermediária, então nesse momento ainda não foi colocado. Introduzimos uma cláusula de melhores esforços, vamos dizer assim, em que as partes combinam que vão continuar estudando o assunto. O presidente não se furtou a comentar a possibilidade de buscar adiantamento de receitas de jogos: - Podemos usar, se for do interesse do clube. Agora, qualquer adiantamento ou empréstimo vai ter de ser aprovado dentro do conselho competente, como qualquer outro adiantamento. Tem de ser submetido. Ao responder sobre a satisfação com os novos números, Bandeira de Mello mostrou uma postura moderada: - Melhoraram em relação ao acordo anterior, mas como falei é um contrato intermediário, não definitivo. Quem sabe pode vir a melhorar ainda mais, mas por enquanto temos de respeitar o que estamos assinando agora. Existe a possibilidade de rescisão sem multa a qualquer momento para qualquer um dos lados. Ex-presidente Marcio Braga reclama de falta de tempo para apreciação. Pouco antes do horário marcado para o início das atividades no Deliberativo, o ex-presidente Marcio Braga afirmou ser contra a assinatura nos termos iniciais do contrato. A bronca era com a ausência de uma cláusula que contemplasse a construção de um estádio na Gávea, projeto antigo no clube que nunca saiu do papel. Ontem (segunda-feira), o Conselho de Grandes Beneméritos do Flamengo se reuniu e eu fiz uma exposição do que eu acho dessa operação, dessa proposta de contrato de três anos. O conselho concordou comigo por unanimidade que o Flamengo não pode assinar nada que não garanta a ele a construção do seu estádio na Gávea. Eles inicialmente fizeram um contrato para alguns jogos, depois para 30 dias, depois três meses, agora três anos, eles estão avançando sempre no sentido de validar a concessão do Maracanã. Porque sem o Flamengo eles não consolidam a posição. O único cacife que o Flamengo tem é exatamente o mando de campo. Enquanto o Flamengo não negociar o seu mando de campo, eles não têm certeza de nenhuma negociação que possa prosperar no Maracanã. A luta de braço é essa - disse Marcio, que conseguiu ao menos o estudo de viabilidade na redação final do contrato. O ex-presidente, que na eleição do ano passado apoiou a Chapa Azul, ainda contestou o curto prazo para análise dos documentos pelos conselheiros. Eu até achava na semana passada, quando colocaram isso na quinta-feira para ser apreciado e votado na terça-feira, que era um pouco açodado. Não dá para formar opinião em três ou quatro dias de um negócio que é de altíssimo interesse do Flamengo. Mas essa ideia de dar mais uns 10 dias para discussão não prosperou. Questionado sobre as muitas vezes em que o Flamengo tentou a licença para construir o estádio, em diferentes tamanhos, na Gávea, Braga afirmou que o clube chegou a ter o documento em mãos, mas esbarrou no veto do governador Sérgio Cabral. Não, você está enganado. Tivemos o estádio na Gávea aprovado com licença de obras concedida pela Prefeitura no meu mandato. Tínhamos a licença de obra. Aí o Sérgio Cabral é que vetou, ele que tirou a licença, estava tudo aprovado na Prefeitura. Veio o governo do Estado e vetou para nos colocar participando da licitação do Maracanã. Esse foi o argumento. Tivemos de aceitar, ganharíamos a licitação e chega na hora, ele faz a licitação proibindo a participação dos clubes. O governador não honrou a sua palavra.(globoesporte.com)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Fla faz primeiro contato formal pela permanência de Elias e aguarda Fifa

Em meio à batalha entre jogador e Sporting, diretoria conversa com pai e representante do atleta. Entidade deve emitir parecer nos próximos dias. Apontado como o reforço que mais deu retorno na atual temporada, Elias conquistou a torcida do Flamengo. Para que a relação não passe apenas de um caso passageiro e se estenda, a diretoria deu o primeiro passo para contar com o jogador na próxima temporada, já que o contrato atual se encerra em dezembro. Segundo o GLOBOESPORTE.COM apurou, em setembro aconteceu a primeira conversa com Eliseu Trindade, pai e representante do meia. Agora, o Rubro-Negro monitora o parecer que a Fifa dará sobre a briga judicial de Elias com o Sporting, de Portugal. O clube tem a informação de que nos próximos dias a entidade deve se pronunciar sobre o caso. Elias entrou com uma ação na Fifa para cobrar do clube português direitos de imagem atrasados. O clube negou a dívida e afirmou que o único débito com o volante se referia ao contrato de direito de imagem que foi rescindido. Por meio de um comunicado oficial, o jogador revelou que há valores pendentes referentes ao mês de outubro de 2011 e sucessivas tentativas de pagamentos que não teriam sido honradas, o que classificou como "desinteresse". Mesmo que de forma involuntária, o Flamengo pode se beneficiar com a ida do jogador à Fifa, pois ele ficaria livre. A permanência do volante é uma das prioridades do diretor de futebol Paulo Pelaipe, que desde agosto começou a conversar com a diretoria sobre o assunto, até fazer o primeiro contato em setembro. O clube europeu fixou um valor salgado para negociar o volante com os brasileiros: € 8 milhões (R$ 24,3 milhões). Os portugueses são donos de 50% dos direitos econômicos do camisa 8, e a outra metade pertence a um grupo de investidores capitaneado pelo empresário português Jorge Mendes. Uma rescisão com os lusos, no entanto, facilitaria o processo. Elias tem vínculo com o Sporting até 2016. Contratado pelos portugueses em 2011 por € 8,8 milhões (R$ 26,8 milhões), o camisa 8 foi a maior negociação da história do time de Lisboa. O jogador recebia no Sporting € 1,3 milhão (R$ 3,9 milhões na cotação atual) por ano – cerca de R$ 330 mil mensais. A dívida que os portugueses teriam com ele gira na casa de R$ 2,6 milhões. Na contratação do jogador, o Flamengo comprometeu-se a pagar € 500 mil (R$ 1,5 milhão) no fim do vínculo, mesmo que não tenha interesse em ficar com ele. As partes só devem selar a negociação quando tiver um parecer da Fifa.(globoesporte.com)