FLAJARAGUÁ

FLAJARAGUÁ
OS 3 SORTUDOS!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Ederson volta a treinar no Ninho, e Cristóvão faz mistério em treino tático!

Camisa 10, que retorna da Itália, trabalha mais a parte física. Treinador novamente esconde escalação para o jogo contra o Santos. Wallace e Samir podem voltar à zaga. O meia Ederson retornou em definitivo da Itália na manhã desta quinta-feira, após resolver problemas pessoais, e treinou normalmente no Ninho do Urubu na parte da tarde, como estava previsto. O camisa 10, ao contrário dos companheiros, trabalhou mais a parte física, enquanto os demais participaram de um treino tático sob o comando de Cristóvão Borges. O treinador fechou a atividade por 1h30m e, quando os portões foram abertos à imprensa, os jogadores já estavam trabalhando somente finalizações. O comandante tem escondido o jogo recentemente. O destaque das finalizações ficou com Guerrero e Gabriel. O primeiro acertou belo chute na gaveta, sem ângulo, batendo com muito efeito na bola. O segundo emendou um voleio de primeira no cantinho. O clima da atividade foi bom, com Paulo Victor muito animado. O camisa 48 tem tudo para voltar à meta rubro-negra neste domingo, contra o Santos, às 16h, no Maracanã. As maiores dúvidas do time estão na defesa. Wallace e Samir, que se recuperavam de lesão, voltaram a treinar normalmente e podem reassumir a dupla de zaga titular nos lugares de Marcelo e César Martins, que fez sua estreia na última partida. Já Ayrton pode perder a vaga da lateral direita para Pará, que foi titular no começo do ano. Do meio para a frente, a dúvida é se Cristóvão entrará com Márcio Araújo ou com Marcelo Cirino. A opção por um ou por outro muda a função que Everton exercerá no jogo, de meio-campo ou de ponta esquerda. A equipe que parece mais provável neste momento para encarar o Santos é: Paulo Victor, Ayrton (Pará), Wallace, Samir e Jorge; Cáceres, Canteros e Everton; Marcelo Cirino, Guerrero e Emerson.(globoesporte.com)

terça-feira, 28 de julho de 2015

Em ano eleitoral no Fla, Zico justifica apoio a Wallim: "Voto na filosofia"

Ídolo rubro-negro elogia Bandeira, lamenta divergências com Bap, mas escolhe lado de ex-vice de futebol e do de marketing em torneio que leva seu nome na Gávea. Zico tem um lado na eleição do Flamengo. Na semana passada, ele declarou apoio a Wallim Vasconcellos de olho na disputa presidencial prevista para dezembro. Nesta terça-feira, durante a disputa das finais da Copa Zico, torneio que envolve jovens de 11 a 17 anos, na Gávea, o anfitrião do evento explicou por que está ao lado do ex-vice-presidente de futebol. Wallim era o candidato original da Chapa Azul, grupo vencedor no pleito ocorrido em 2012, mas não pôde se candidatar por não cumprir obrigações estatutárias. Em recentes entrevistas, Wallim e seu grupo afirmaram ser contra o que chamaram de personalização de uma gestão. O Galinho fez elogios a Eduardo Bandeira de Mello, mas apóia-se nessa argumentação de seus pares para justificar sua opção. O Bandeira é um cara que eu gosto muito. Eu o adoro, é confiável e está fazendo um bom trabalho, mas esse bom trabalho está tendo ajuda também dessas pessoas que vão estar no grupo do Wallim e do Landim (vice-geral da chapa). Ficou definido (que a Chapa Azul não teria com base de sua campanha em um nome, mas na coletividade) desde o início, nas primeiras reuniões que o Bandeira não participou. Era Wallim, Godinho (Flávio, ex-vice de relações externas), Bap (Luiz Eduardo Baptista, ex-vice de marketing), Gustavo (Oliveira, atual vice de comunicação), Ruben Osta (empresário). São as pessoas com quem a gente tratou desde o início. O Wallim não pôde se candidatar, veio o Bandeira. De início, ele seguiu a filosofia, mas houve uma divergência, um problema pessoal dele com o Bap. É algo que deixa a gente triste, mas eu não vou abandonar a filosofia. Voto na filosofia que acho que é boa para o Flamengo e não em pessoas. Questionado se imagina que o Flamengo pode mudar os rumos administrativos em caso de derrota do seu grupo, Zico disse torcer pelo contrário, confiando na ideologia de Bandeira, caso seja vitorioso. Espero que não (mude), porque o Bandeira era contra tudo isso que vinha acontecendo em termos de Flamengo. Eu não acredito que se possa dar um passo para trás. O Flamengo progrediu, e eu acho que o Bandeira tem os pés no chão e sabe o que é benéfico ou não para o Flamengo. O Bandeira é da mesma filosofia do "Tudo pelo Flamengo, nada do Flamengo". (www.globoesporte.com)